ARMAZENAMENTO NO OURO VERDE

Polícia desvenda megaesquema de desmanche de veículos

Ação criminosa tem ramificações na RMC, em outras cidades paulistas e em diversos Estados

Alenita Ramirez / alenita.ramirez@rac.com.br
22/07/2022 às 22:18.
Atualizado em 23/07/2022 às 09:19

Agentes do 11° Distrito Policial encontraram peças de carros armazenadas em chácara no bairro Projeto Uruguai, na região do Distrito Ouro Verde (Divulgação)

Agentes do 11° Distrito Policial (DP) de Campinas desmantelaram um esquema criminoso que envolve furto, roubo, desmanche, armazenamento e receptação de veículos praticado por grupos diferentes que não se conhecem, com ramificações na Região Metropolitana de Campinas (RMC), em outras cidades paulistas e nos Estados de Goiás e Minas Gerais. Um homem de 44 anos foi preso em flagrante por receptação qualificada e foram apreendidas duas vans com diversas peças. 

O esquema começa com furtos e roubos de veículos em cidades fora da RMC, como por exemplo São Bernardo do Campo, depois segue para desmanches em municípios da região e tem desfecho em Campinas, com o armazenamento das peças que, depois, seguem para outros Estados. 

Os policiais civis descobriram o esquema de armazenamento de peças em Campinas ao investigarem desmanches ilegais. Eles obtiveram informações de que os criminosos usavam uma chácara no bairro Projeto Uruguai, na região do Distrito Ouro Verde, para armazenar as peças, já embaladas. O material ficava no local por cerca de uma semana e, depois, eram enviados para fora de São Paulo, onde chegavam `etap final do esquema, que é a comercialização. “O esquema é grande e a pessoa que foi presa deu detalhes dessa ação criminosa que envolve muitas pessoas. Já conseguimos identificar sete delas, mas as investigações seguem para descobrir quem é o proprietário da chácara e demais envolvidos”, disse o delegado titular da delegacia, Sandro Janasson.

A chácara era usada apenas para armazenamento das peças, uma vez que os agentes não localizaram ferramentas e nem mesmo resquícios de óleo. O local era usado pelos criminosos há, pelo menos, dois meses. “As peças ficavam ao ar livre e quando eram reunidos cerca de dez kits de carros cortados, suficiente para encher o baú de uma carreta, os criminosos mandavam para Goias ou Minas Gerais. Essas peças ficavam pouco tempo no local, mais ou menos uma semana”, contou Jonasson, que afirmou que a equipe investigava o caso havia um mês e que o grupo sempre muda o local do depósito para não levantar suspeitas. “É uma quadrilha grande que envolve furtadores, roubadores e desmanchadores de veículos”, enfatizou. 

O homem foi preso durante campana dos policiais, que tinham recebido informações sobre um local suspeito de ações criminosas. O homem foi detido quando chegava com uma van na chácara. Ele alegou que foi contratado para pegar o material em Valinhos e levar até o local. Dentro da van, havia peças de dois carros, um Fiat e um Renault. Outra Van estava no local. O homem teve prisão preventiva decretada, após passar por audiência de custódia. 

A ação foi denominada Cavalo de Troia, numa referência à Guerra de Troia, que durou cerca de 10 anos, na qual os gregos contruíram um enorme cavalo de madeira como estratagema para invadir Troia. 

Combate ao desmanche

Dados divulgados em junho pela Secretaria de Segurança Pública (SSP)mostram que, de janeiro a maio deste ano, Campinas registrou um aumento de 12,9% nos furtos de veículos na cidade, em comparação com igual período do ano passado. Nos cinco meses de 2022, foram furtados 1.358 veículos, enquanto em 2021, 1.358. 

O combate ao furto e roubo de carros em Campinas e região é feito pelas forças de segurança constantemente. 

Em fevereiro deste ano, a Divisão Especializada em Investigações Criminais (Deic) apreendeu quatro carcaças de carros que foram encontradas em um imóvel no Jardim São José, em Campinas. Ninguém foi preso na época. Este foi o terceiro desmanche de veículos localizado pela Deic em menos de 10 dias. Em maio deste ano, a Guarda Municipal de Campinas descobriu um depósito usado como desmanche de veículos no bairro São Judas Tadeu, no distrito do Ouro Verde.

No local, a corporação encontrou ao menos 20 carcaças de veículos, três chassis de caminhonetes e duas placas de carros furtados. Ninguém foi localizado no local e não houve prisão. 
Na mesma semana, a Polícia Militar de Indaiatuba prendeu seis homens em um barracão usado para desmanche irregular de veículos. As prisões foram no bairro Pimenta. No imóvel, foram encontradas e apreendidas peças e partes de caminhonetes. Todos os detidos eram de Campinas. 

Também no mesmo período, o Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep) prendeu, em Santa Bárbara d'Oeste, uma quadrilha acusada de roubos a caminhonetes de luxo. Foram apreendidas armas e drogas. 

De acordo com a Polícia, na época, a localização do grupo se deu durante patrulhamento e uma equipe foi acionada após o roubo de uma Toyota/Hilux, em Americana. Criminosos em um veículo Gol deram cobertura ao assalto. Após buscas pelos bandidos, os policiais avistaram um veículo com as mesmas características no Conjunto Habitacional Roberto Romano, em Santa Bárbara d'Oeste. 

A quadrilha era acusada de, pelo menos, três roubos de caminhonetes na região. Os alvos eram sempre veículos de luxo. 

Assuntos Relacionados
Compartilhar
Anuncie
(19) 3736-3085
comercial@rac.com.br
Fale Conosco
(19) 3772-8000
Central do Assinante
(19) 3736-3200
WhatsApp
(19) 9 9998-9902
Correio Popular© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por