xeque-mate / por luiz saviani rey

Ponto de interrogação

Luiz Saviani Rey
19/07/2022 às 20:10.
Atualizado em 20/07/2022 às 08:43

Os rebeldes do MDB buscam apoio de Michel Temer para a aproximação e formalização de aliança com Lula (Divulgação)

A grande dúvida na política nacional nesses próximos dias será saber para que lado irá pender o MDB do deputado federal Baleia Rossi, que comanda a sigla. Um tumulto e um torvelinho acabam de eclodir no interior do partido ante a decisão de 11 diretórios estaduais de pôr de lado a candidatura à Presidência da senadora Simone Tebet para emprestar apoio ao candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva. Os rebeldes do MDB buscam apoio de Michel Temer para a aproximação e formalização de aliança com Lula.

PONTO DE INTERROGAÇÃO 2

O MDB está radicalmente dividido e a ponto de viver um “racha” inédito na vida política brasileira. Ontem, na tentativa de resistir às pressões, que são internas e externas ao partido, para que Simone Tebet renuncie ao posto de candidata à Presidência da República, privilegiando apoio a Lula, Baleia Rossi e dirigentes de outros 19 diretórios saíram em sua defesa. Uma nota reitera apoio à manutenção de Simone na condição de candidata ao Palácio do Planalto.

FRASE

"Sugiro que o MDB reúna as lideranças do partido, e que conversem”.
Michel Temer (MDB), ex-presidente da República

PONTO DE INTERROGAÇÃO 3

A nota do MDB é suscinta e objetiva. Assinada por Baleia Rossi e 19 presidentes de diretórios estaduais, diz: “Em respeito ao povo brasileiro e aos filiados do MDB, nós - defensores de uma alternativa à polarizção e ao populismo - ratificamos nosso compromisso de lutar pela eleição de Simone.

************

Nesse imbróglio, a figura do ex-presidente Michel Temer surge como fiel da balança. Temer pediu adiamento da conveção do MDB.

BENEFICIÁRIO

A articulação de emedebistas na direção da candidatura de Lula satisfaz o PT, que espera angariar o apoio de todo o MDB e ainda investir sobre a adesão de Ciro Gomes, candidato a presidente pelo PDT.

CAIXA DE CAMPANHA

O Tribunal Superior Eleitoral divulgou ontem os limites de gastos para as campanhas eleitorais deste ano. O limite mais alto visa as campanhas à Presidência da República: os candidatos só poderão gastar R$ 88,9 milhões no primeiro turno. Para o segundo, a metade desse valor.

CAIXA DE CAMPANHA 2

O limite para deputados feferais é de R$ 3,1 milhões. Os estaduais poderão gastar até R$ 1,2 milhão. Para cargos de senador e governador, os valores dependem do número de eleitores para cada unidade da federação. São Paulo, o maior colégio eleitoral, por exemplo, tem limite de R$ 26,6 milhões para o caro de governador, e de R$ 7,1 milhões para senador.

LINHA DE ATAQUE

Picture da reunião do Republicanos com o PSD que definiu Felício Ramuth como vice de Tarcísio Gomes de Freitas para a corrida aos Bandeirantes. Entre ambos, Guilherme Campos, candidato a deputado federal do PSD, com Gilberto Kassab, presidente do partido.

VELHO OESTE

Bira do Pindaré, deputado líder do PSB na Câmara Federal, protocolou projeto de lei para suspender o direito de porte de armas nas semanas anterior e posterior à data das eleições. 

REPRESENTAÇÃO

A Associação Nacional de Defesa Proteção da Liberdade entrou com representação criminal no MP contra a vereadora Guida Calixto (PT) por conta de cartilha distribuída em escolas de Campinas com suposta incitação ao crime. A Associação baseou-se em discurso do vereador Nelson Hossri (PSD).

Assuntos Relacionados
Compartilhar
Anuncie
(19) 3736-3085
comercial@rac.com.br
Fale Conosco
(19) 3772-8000
Central do Assinante
(19) 3736-3200
WhatsApp
(19) 9 9998-9902
Correio Popular© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por