Publicado 21 de Junho de 2021 - 17h18

Por Do Correio.com com AE

Jair Messias Bolsonaro ataca jornalistas mais uma vez

Divulgação

Jair Messias Bolsonaro ataca jornalistas mais uma vez

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) insultou jornalistas e tirou, em uma entrevista, a máscara de uso obrigatório que ajuda a evitar a transmissão da covid-19. Em Guaratinguetá (SP), após evento na Aeronáutica nesta segunda, 21, o presidente até iniciou a entrevista com o acessório, mas defendeu novamente o uso facultativo antes de retirá-lo para iniciar a série de ataques aos profissionais de imprensa. "Eu chego como eu quiser onde eu quiser, está certo? Eu cuido da minha vida. Se você não quiser usar máscara, você não use", disse "Estou sem máscara em Guaratinguetá. Está feliz agora?", perguntou assim que retirou o objeto do rosto.

A resposta veio após o presidente ser questionado pela repórter da TV Vanguarda sobre o uso de máscaras em São Paulo. Ela lembrou que ele havia sido multado pelo governador de São Paulo, João Doria, em outra ocasião pela falta do uso do equipamento. 

O presidente se alterou, retirou a máscara que utilizava e a mandou e repórter "calar a boca". Depois, desfiou uma série de impropérios contra a Rede Globo, da qual a TV Vanguarda, empresa para a qual trabalha a repórter, é filiada.

"Estou sem máscara em Guaratinguetá, você tá feliz agora? Essa Globo é uma merda de imprensa. Vocês são uma porcaria de imprensa. Cala a boca. Vocês são uns canalhas. Vocês fazem um jornalismo canalha, que não ajuda em nada. Vocês não ajudam em nada, vocês destroem a família brasileira, destroem a religião brasileira, vocês não prestam. A Rede Globo não presta. Um péssimo órgão de informação. Você tinha que ter vergonha na cara de se prestar a um serviço porco que é esse que você faz", bradou Jair Bolsonaro visivelmente nervoso. 

Capacete balístico

Sobre a motociata em São Paulo, ele disse estar usando capacete balístico e se disse vítima de ataques.

"Eu estava com capacete balístico à prova de [calibre] 762. Eu sou um alvo de canalhas do Brasil. 'O senhor chegou sem máscara...' Eu chego como eu quiser, onde eu quiser, eu cuido da minha vida. Se você não quiser usar máscara, você não usa. Agora, tudo o que eu falei para vocês infelizmente deu certo: tratamento precoce salvou a minha vida. Muitos jornalistas falam reservadamente que usaram hidroxicloroquina, usaram ivermectina, por que vocês não admitem isso? Por que você acha que eu tenho que me consultar com (William) Bonner ou Miriam Leitão? Parem de tocar no assunto", concluiu.

 

O presidente ainda lembrou que participará de uma motociata no próximo dia 25 em Chapecó. Essa será a segunda visita dele à cidade este ano. Prefeito tem incentivado o inexistente "tratamento precoce" contra a covid-19 e teve trabalho elogiado pelo chefe do Executivo. Vídeo com as declarações de hoje foi postado por um canal simpático ao presidente.

"Lamento todos os mortos, lamento muito. Qualquer morte é uma dor para a família e nós, desde o começo, o governo federal teve coragem de falar em tratamento precoce. E alguns até dizem, como está sendo conduzida essa questão, parece que é melhor se consultar com jornalistas do que médicos. Tem município que eu vou estar agora, novamente em Chapecó, que está sendo conhecido como a 'cidade do tratamento precoce'", apontou.

TCU de novo

 

O presidente ainda voltou a confirmar erroneamente a existência de um documento do Tribunal de Contas da União (TCU) que revelaria que 50% das mortes registradas por covid-19 no Brasil foram por outras causas que não o vírus. Porém, o órgão já desmentiu a informação e negou a existência desse tipo de levantamento. O presidente se baseou, na verdade, em um 'estudo paralelo' de caráter pessoal do auditor Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, já afastado do Tribunal.

"Existe, sim, um documento oficial do TCU que fala em supernotificação de casos tendo em vista a forma como os estados conseguiriam recursos, levando em conta o número de pessoas contaminadas ou vitimadas pela covid. Talvez eu seja um dos únicos chefes do mundo que tiveram coragem de falar em tratamento precoce. Mais do que isso, o que eu defendo é a liberdade do médico poder tratar do seu paciente e, assim, entendo o CFM que, no meu entender, é o órgão adequado para tratar desse assunto", alegou.

O mandatário também criticou cobertura da CNN Brasil durante as manifestações contra o governo no final de semana. "CNN? Vocês elogiaram a passeata agora de domingo, né? Jogaram fogos de artifício em vocês e vocês elogiaram ainda", reclamou.

 VEJA O VÍDEO AQUI

Escrito por:

Do Correio.com com AE