Publicado 05 de Dezembro de 2021 - 19h54

Por Cibele Vieira/ Correio Popular

No dia 18 de dezembro, sábado, das 9h às 11h, 30 ciclistas vão para percorrer 8km, parando para visitar cinco ateliês de importantes artistas contemporâneos

Divulgação

No dia 18 de dezembro, sábado, das 9h às 11h, 30 ciclistas vão para percorrer 8km, parando para visitar cinco ateliês de importantes artistas contemporâneos

Gosta de pedalar, mas também gosta de arte? Então esse roteiro foi feito sob medida para conciliar seus dois prazeres: bicicleta e cultura. A artista Estefânia Gavina, que fez do ciclismo seu esporte na pandemia, está organizando um roteiro pelo circuito de artes do centro de Campinas, totalmente gratuito. No dia 18 de dezembro, sábado, das 9h às 11h, ela pretende reunir 30 ciclistas para percorrer 8km, parando para visitar cinco ateliês de importantes artistas contemporâneos.

O Ateliê Casa, que trabalha com fotografia e videografia ao lado de seu arquivo Acho Imagens (com mais de 20 mil imagens órfãs), será o ponto de partida dos ciclistas, na Chácara da Barra. Eles poderão apreciar também a exposição Depois do Fim, inaugurada no final de novembro por um coletivo de artistas no @ateliecasacampinas. De lá, o grupo parte para o centro da cidade.

Ao lado da Praça Carlos Gomes, dentro do Edifício Itatiaia - construído por Oscar Niemeyer – estão dois ateliês: o da artista Valéria Scornaienchi (um local iluminado para apreciar a obra da artista que conversa com a natureza da praça - @valeriascornaienchi) e o de Francisco Biojone (neste há uma exposição com monotipias e ecolines, algumas inéditas - @franciscobiojone).

Após essas visitas os ciclistas partem para sua última parada, na Rua Luzitana, onde fica a Fêmea Fábrica (@femeafabrica), um espaço cultural que funciona como Incubadora de Artistas e Produtora de Artes Visuais. No dia 18, o local sediará uma Feira de Artes.

Inédito e experimental

É a primeira vez que um passeio desse tipo é organizado na cidade. Será uma edição inédita e experimental, que poderá ser ampliada para outros circuitos artísticos em 2022, como Sousas e Barão Geraldo. A proposta vem sendo estruturada desde 2020, mas a pandemia ainda não tinha permitido a execução, conta Estefânia Gavina. Trazer novos públicos para o circuito cultural da cidade é um dos objetivos do passeio. Os ateliês visitados são relativamente próximos e com afinidade na linha artística.

“Muita gente gosta de cultura, mas não tem oportunidade de ver de perto a oficina do artista, entrar na intimidade do seu local de trabalho, conhecer por dentro sua história”, pondera a artista. Ela comenta que embora tenha uma forte produção cultural, a cidade conta com poucas ciclovias. Mesmo assim, considera que colocar em prática os dois prazeres trará uma experiência rica e inovadora aos participantes.

Os organizadores comentam que o circuito é adequado para iniciantes na prática de ciclismo. Mas, por segurança, foi solicitado apoio da Emdec durante o trajeto, para criar um corredor para os ciclistas, com acompanhamento de agentes do trânsito. Os participantes devem usar capacete, levar água, máscara para entrar nos ateliês e cadeado de segurança para sua bike. Nas paradas haverá local para estacionar em garagens ou fechar com cadeados as bicicletas, e os ateliês devem fornecer água ou frutas para os visitantes, que poderão ainda adquirir trabalhos em pequenos formatos. Se chover, o roteiro fica transferido para o dia seguinte 19/12.

 

Escrito por:

Cibele Vieira/ Correio Popular