Publicado 05 de Dezembro de 2021 - 19h33

Por Karina Fusco/ Correio Popular

Colares, brincos,  anéis, pulseiras e braceletes, tudo pode ser tamanho G

Divulgação

Colares, brincos, anéis, pulseiras e braceletes, tudo pode ser tamanho G

Com a liberação de algumas atividades que estavam restritas por conta da pandemia de ovid-19 e as pessoas saindo mais para trabalhar, fazer compras ou aproveitar momentos de lazer, as roupas básicas e os pijamas que dominaram enquanto foi preciso ficar em casa, agora dão a vez aos looks mais arrumados e despojados. Nas composições do que vestir e como se expressar visualmente, ganham destaque os máxi acessórios.

Colares, brincos, anéis, pulseiras e braceletes, todos em tamanhos grandes, estão com tudo! Eles vão bem tanto com roupas neutras, como com peças mais coloridas e chamativas. Isso porque, como explica Justine Armani, professora da área de moda, caíram por terra aquelas regras de que um máxi colar não poderia ser acompanhado por um brinco grande ou que tais peças não iam bem para quem tem determinados formatos de rosto ou tamanhos de pescoço. São conceitos ultrapassados! “Vivemos um período de desconstrução de padrões estéticos, do prestigio da real beleza, em que cada pessoa cria a sua própria narrativa e dita suas próprias regras de conduta. Cada um tem uma narrativa particular e uma necessidade de construir uma comunicação visual que expresse traços da própria personalidade”, afirma.

Ela explica também que os máxi acessórios têm uma comunicação muito mais forte e demonstram personalidade. “O tamanho tem a ver com o novo perfil da mulher, que vive um novo momento. Esses acessórios representam uma mulher moderna e mais segura”, completa. Em relação ao que pode e o que não pode ser usado, ela reforça: “entenda a sua narrativa pretendida, quanto maior for o acessório, maior a narrativa de força, coragem, exuberância e transgressão”.

Da passarela para as ruas

Para a designer de joias, Vanessa Prado, a força dos máxi acessórios neste momento tem uma relação direta com uma espécie de renascimento que veio com o avanço da vacinação e a esperança que isso trouxe. “Vivemos um período de minimalismo, mas, agora, o oposto veio forte. As pessoas querem externar essa vontade de viver usando acessórios maiores e coloridos e mostrar a personalidade, mas sem deixar o conforto de lado. Um máxi colar pode ir muito bem com uma t-shirt básica, por exemplo”, afirma.

A tendência foi impulsionada nos grandes eventos de moda de 2021. No Paris Fashion Week, que aconteceu entre o final de setembro e início de outubro, os máxi acessórios fizeram bonito. No desfile da grife Saint Laurent, eles foram um grande destaque. Justine lembra também que nas passarelas foi possível observar muitos colares com pedrarias e máxi correntes de metal e de acrílico com fechos grandes. “Você pode misturar uma corrente máxi de acrílico mais curtinha com uma máxi de metal mais longa e um brinco grande. Isso não tem a ver com uma regra, mas sim com estilo”, reforça.

Segundo ela, apenas alguns cuidados devem ser tomados no uso desses acessórios. Entre eles estão: não deixar que a gola da blusa “brigue” com o colar. Se o objetivo for usar gola alta e máxi colar, é possível colocar o acessório por cima da blusa, mas não tão encostado na gola.

Peças mais leves e modernas

Com a força do slow fashion, um conceito que defende uma moda menos acelerada, que prioriza a qualidade, a atemporalidade das peças e produtos com ciclo de vida maior, os máxi acessórios que por ventura possam estar esquecidos numa caixa dentro do armário, não só podem, como devem voltar à ativa.

Se um máxi colar fez parte dos seus looks há dois ou três anos, por que não colocá-los em uso de novo? “Correntes não são novidades. Elas voltam grandes. Já os máxi colares estão aí há quase uma década e todos os anos eles vêm repaginados, por exemplo agora, com mais pedraria e contraste de cores, como um brinco de pedra verde e outro pink, e vários braceletes no mesmo braço, multicoloridos, fazendo alto contraste de cores. “Vale apostar em cores análogas, como laranja com amarelo ou vermelho com pink, como também nas opostas, como azul com vermelho ou verde com roxo”, explica.

Vanessa Prado destaca também que hoje os máxi acessórios são mais leves e confortáveis, o que permite conquistar até quem os evitava no passado, por serem muito pesados e até incômodos. “Há muitas opções no mercado. Até peças de metal são leves, sem contar que as peças coloridas em acrílico por si só conferem leveza ao look”, completa.

A liberdade para lançar mão desses itens no dia a dia ou em festas e criar novos looks está aí para que todos possam aproveitar!

Escrito por:

Karina Fusco/ Correio Popular