Publicado 04 de Julho de 2021 - 14h21

Por Cibele Vieira

O Sítio Vale das Cabras

Gustavo Tullio Fernandes

O Sítio Vale das Cabras

O que acontece quando um casal da cidade decide investir em uma vida mais sustentável, usando melhor os recursos naturais e adotando um estilo de vida colaborativo? Acontece que dá certo e a vida ganha mais qualidade! Pelo menos essa é a experiência de Gustavo e Patrícia, que criaram um sitio modelo agroecológico na Área de Proteção Ambiental de Joaquim Egídio. Com as parcerias certas, transformaram uma área degradada de dois hectares em um centro produtor de serviços ambientais e modelo de transformação socioambiental na região.

Em oito anos de trabalho intenso o Sítio Vale das Cabras ganhou água abundante, cultivo de alimento orgânico, construções ecológicas, energia renovável, reflorestamento e todo conhecimento é compartilhado para fora da porteira. O casal mora com a filha em uma casa contemporânea, confortável e ecológica, que nada tem de rústica, apesar da tecnologia sustentável usada na construção. Com essa mudança no estilo de vida, eles agora compartilham a experiência e as técnicas com outras pessoas interessadas, mostrando o como fazer para adotar uma vida com mais qualidade.

Observar, planejar, produzir

O Sítio Vale das Cabras era apenas um grande pasto quando foi comprada por Gustavo Tullio Fernandes em 2013. Antes de começar qualquer atividade na área, gastou um bom tempo observando: os ventos, o sol, o caminho da água das chuvas, as atividades do entorno. Ao entender esse movimento da natureza, traçou as estratégias e buscou as técnicas corretas, começando pela gestão hídrica. Afinal, sem água não há vida, comenta. Cavou um poço caipira (cacimba)e, para alimentar o lençol freático com a água da chuva, construiu valas de infiltração e açudes, além do plantio de árvores. Foram mais de mil mudas nativas de 50 espécies diferentes.

Formado em Direito pela PUC-Campinas e com MBA em Negócios Socioambientais pela USP, Gustavo já havia trabalhado em projetos para comunidades, mas queria ampliar essa atuação e mostrar que é possível viver uma vida totalmente sustentável. Mas para isso precisou de um parceiro estratégico, que está junto desde o início: João de Lima Filho (conhecido como Ico), um morador da área rural de Joaquim Egídio que já tinha a rotina rural e passou a praticar a agricultura orgânica no local.

Hoje, semanalmente, o senhor Ico entrega cestas de produtos cultivados no Vale das Cabras para cerca 50 famílias associadas. É uma produção de aproximadamente 100 quilos de alimentos por semana, entre legumes, raízes, folhas, temperos e frutas. Cada família paga uma mensalidade - de acordo com o tamanho da cesta escolhida – para receber os alimentos orgânicos, mais frescos e direto do produtor. O  agricultor explica que, nesse sistema, todos dividem responsabilidades, riscos e compartilham os excedentes.

Instalações ecológicas

Com a água e os plantios definidos, Fernandes iniciou a construção de uma casa sede. Embora com estilo contemporâneo e confortável, o tipo de construção não tem nada de comum. Foram usados tijolos de adobe, fabricados no próprio sítio, eliminando materiais como cimento e ferro. O reboco e a pintura também foram feitos com processos naturais (como a argila branca retirada do fundo do poço)para permitir o controle de calor e umidade. A moradia tem também chuveiro com aquecimento solar, telhado verde, captação de água de chuva e biodigestor.

A arquiteta Patrícia Campiol dos Santos é parceira de vida, sonhos e negócios de Fernandes. Ela é especialista em bioconstruçõese todas as instalações do sítio adotam recursos renováveis, como as estufas de bambu. Ela brinca que o termo bioconstrução ainda remete a ideia de rusticidade, mas a técnica permite que as paredes respirem e regulem a temperatura (dispensando ar-condicionado) e absorvem até 80% da umidade (o que evita o mofo). Por isso muitos projetos modernos estão se rendendo a essa técnica milenar, responsável por construções como as muralhas da China, as pirâmides do Egito e muitas igrejas antigas.

Todas as tecnologias e inovações colocadas em prática no Vale das Cabras são repassadas para pessoas interessadas, por meio de cursos, visitas técnicas e grupos de estudantes. É o que eles chamam de replicar modelos para fora da porteira. O objetivo, explicam, é que as pessoas se apropriem desse conhecimento e apliquem em suas vidas, mudando a maneira de consumir e ampliando a qualidade de vida para si e para o planeta.

Site: www.sitiovaledascabras.com.br

Instagram:@sitiovaledascabras

E-mail:[email protected]

Endereço: Estrada das Cabras, km 13,5– Distrito de Joaquim Egídio – Campinas/SP

Escrito por:

Cibele Vieira