Publicado 15 de Janeiro de 2022 - 11h08

Por Lucas Rossafa / Correio Popular

Tranferência de João Veras para Portugal não vai render dividendos aos cofres da Ponte Preta de imediato

Álvaro Júnior / AA Ponte Preta

Tranferência de João Veras para Portugal não vai render dividendos aos cofres da Ponte Preta de imediato

A diretoria executiva da Ponte Preta sacramentou a renovação contratual de João Veras por mais 18 meses.

Prestes a ser repassado por empréstimo ao Portimonense (POR), centroavante estendeu vínculo junto à Macaca de 31 de dezembro de 2022 até 30 de junho de 2024.

O camisa 45 deve defender o clube português com acordo vigente até junho de 2023, segundo negociação, ainda não oficializada, costurada entre as partes.

Se em um primeiro momento a transação não vai render nenhum centavo de forma imediato, a Alvinegra pode faturar uma bolada em médio ou longo prazo.

Após término do vínculo, em junho de 2023, os europeus têm a opção de comprar os direitos econômicos - 70% pertence aos campineiros e 30% ao XV de Piracicaba - por cerca de 500 mil euros, o equivalente a R$ 3,2 milhões. A ideia é manter uma fatia do passe para venda futura.

Aos 21 anos, Veras, que já viajou para Portugal na quinta-feira, tinha prioridade de compra do São Paulo graças ao empréstimo gratuito de Marcos Júnior, porém a preferência terminou no final do ano passado.

Ele foi o principal destaque da Ponte Preta na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2020, com três gols em cinco jogos.

Promovido ao profissional há dois anos, o atacante ganhou espaço com Fábio Moreno, porém saiu dos planos de Gilson Kleina depois de problemas de indisciplina nos últimos compromissos pela Série B do Campeonato Brasileiro - em 2021, foram cinco bolas na rede em 33 compromissos.

Mercado

Por meio de Luís Fabiano, atual coordenador de futebol, a Ponte Preta manifestou interesse em Osvaldo, recém-desligado do Fortaleza.

Ex-centroavante foi campeão da Copa Sul-Americana em 2012 pelo São Paulo ao lado do atacante, hoje está em plena atividade.

Por enquanto, não houve evolução nas tratativas, embora a Macaca busque mais um nome para atuar pelas beiradas do gramado no sistema ofensivo e, portanto, fechar o elenco de Gilson Kleina.

As partes também não teriam entrado na questão salarial neste início de sondagem.

O contato do Fabuloso, braço direito do presidente Marco Antônio Eberlin, foi feito na semana passada, ciente de que Osvaldo não permaneceria no futebol cearense.

Vendas

A loja oficial da Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli, comercializou as 26 camisas autografadas por Dedé em menos de 24 horas.

Na primeira ação de marketing com o principal reforço da temporada, Macaca fez venda exclusiva para os sócios-torcedores com mensalidade em dia.

Os valores praticados foram de R$ 188,90, o que rendeu uma arrecadação de R$ 4.911,40. O clube liquidou 24 no primeiro dia e duas nas primeiras horas de quinta-feira.

A ação foi considerada um sucesso pela diretoria executiva, cujo mandato é válido até o final de 2025.

O número 26 é o que Dedé vestiu durante as passagens por Vasco da Gama e Cruzeiro - isso será repetido na Alvinegra.

Afastado pelo novo coronavírus, zagueiro, com contrato de produtividade assinado até o fim da Série B do Campeonato Brasileiro, deve perder a estreia do Paulista.

Eliminada!

A Ponte Preta encerrou participação na Copa São Paulo de Futebol Júnior nessa sexta-feira à tarde com derrota diante do Fluminense pelo placar de 3 a 0, no Estádio Hudson Buck Ferreira, em Matão.

Os gols do Tricolor das Laranjeiras, um dos principais favoritos ao título, foram marcados por John Kennedy, Matheus Martins, em cobrança de pênalti, e Luan Brito.

Com revés, a Macaca se despede do principal torneio de base do país na terceira fase.

Escrito por:

Lucas Rossafa / Correio Popular