Publicado 12 de Janeiro de 2022 - 8h57

Por Lucas Rossafa / Correio Popular

Marco Eberlin está de olho no mercado, mas também promove mudanças consideradas necessárias no plantel

Divulgação

Marco Eberlin está de olho no mercado, mas também promove mudanças consideradas necessárias no plantel

Marco Antônio Eberlin jogou a real com o torcedor da Ponte Preta em entrevista coletiva no início desta semana.

À frente da diretoria executiva desde 1º de janeiro de 2022, o presidente eleito abriu o jogo a respeito de inúmeras situações relacionadas ao dia a dia da Macaca.

Com respostas objetivas, o novo mandatário confirmou os atrasos salariais com atletas e funcionários.

De acordo com apuração do Correio Popular, os jogadores estão com um mês pendente e também o 13º salário.

Os trabalhadores, por outro lado, possuem débitos diferentes e em maior proporção de tempo. Quem está registrado em CLT tem dois meses (novembro e novembro), além do 13º, enquanto pessoa jurídica, que emite nota, amarga três meses.

“Não, o salário não está em dia. Na verdade, nós sabíamos que herdaríamos alguma coisa de atraso, mas pensávamos que seria somente o 13º salário. São dois meses de salário atrasado e mais o 13º salário. Na quinta-feira, eu fiz uma reunião com os funcionários, conversei com todos eles e disse que, durante essa semana, nós iríamos pagar o salário. O que acontece é o seguinte. Por um atraso da ata da reunião de diretoria que me empossava, o término do registro dela se deu na quinta-feira”, explicou Eberlin.

“De forma documental, eu passei a ser presidente da Ponte somente no final da tarde de quinta-feira ou na sexta-feira. Para que conseguisse assinar para buscar algum empréstimo e para fazer os pagamentos, isso só começou na sexta. Então leva alguns dias. Eu pedi o prazo máximo até sexta para os funcionários do clube, mas talvez isso ocorra antes. Lembrando que eu teria que pagar salário somente em cinco de fevereiro, mas veio um espólio. Esse espólio eu tenho que responder por ele também e será respondido. Nós já conversamos com os funcionários”, emendou.

A reportagem também ouviu atletas que não renovaram o vínculo para próxima temporada e recebeu a informação de que há três meses de direitos de imagem não pagos.

Esquentou

Eberlin também comentou sobre a negociação encaminhada entre Ponte Preta e Lucca para próxima temporada.

“Existe uma conversa com o Lucca. Ela ainda não terminou. Isso pode ocorrer. Não é certeza. Estamos tentando, de todas as formas, trazer o Lucca de volta à Ponte, mas ainda não está definido. Eu volto a insistir. A Ponte Preta não tirou dinheiro algum para trazer esses jogadores, porque não seria justo colocar dinheiro para trazer jogadores e não pagar o salário dos funcionários. Então os jogadores estão vindo para cá sem luva e sem pagamento de intermediação”, pontuou o presidente.

“Tem muitos jogadores que estão vindo para cá inclusive com o salário pago. Tem jogadores que nós trouxemos do Corinthians, não todos, mas dois vieram com salários totalmente pagos pelo Corinthians. A Ponte Preta não está pagando salário desses jogadores. Então sobre o Lucca ainda existe uma negociação e não está definido”, adicionou.

Mata-mata

A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou data, horário e local do duelo da Ponte Preta contra o Jacuipense pela segunda fase da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Invicta, a Macaca encara o Leão Grená nesta quarta-feira, 12 de janeiro, no Estádio José Lancha Filho, em Franca, às 20h.

Líder do Grupo 05 com cinco pontos conquistados em nove possíveis, a Alvinegra continua na sede em que disputou toda a primeira etapa e, portanto, não vai precisar se deslocar para Matão.

Se houver empate no tempo normal, o classificado será conhecido nas cobranças de pênalti.

Escrito por:

Lucas Rossafa / Correio Popular