Publicado 23 de Novembro de 2021 - 9h39

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

Conselheiros da Ponte Preta comemoram o resultado anunciado pelo presidente da Assembleia Geral

Diego Almeida/PontePress

Conselheiros da Ponte Preta comemoram o resultado anunciado pelo presidente da Assembleia Geral

A chapa Movimento Renascer Pontepretano (MRP) foi escolhida pelos conselheiros, no último sábado, para assumir o comando da Ponte Preta no quadriênio de 2022 a 2025.

O resultado da urna interrompe os 25 anos do grupo político liderado por Sérgio Carnielli, presidente de honra, na Macaca.

Em clima de paz e tranquilidade, 434 pontepretanos compareceram ao Estádio Moisés Lucarelli para eleger tal colegiado com 387 votos (89,2%), cujo objetivo é ocupar os cargos eletivos do Conselho Deliberativo da Alvinegra pelo próximo quadriênio.

A ala concorrente, DNA Pontepretano, teve 39 votos – também foram computados três votos nulos e cinco brancos.

Ontem, o presidente da Assembleia Geral, Marcos Garcia, enviou para publicação de um edital convocando a primeira reunião do novo Conselho Deliberativo.

O órgão é formado pelos 150 eleitos - a chapa tem ainda 75 suplentes - e os conselheiros natos. Essa reunião tem que ser marcada, regimentalmente, até o o próximo dia 30 de novembro.

No encontro, serão aclamados os nomes do futuro presidente e vices da diretoria executiva, da Mesa do Conselho e do Conselho Fiscal até 2025.

A MRP deve dar conhecimento de todos os diretores que serão apontados aos cargos dois dias antes da data marcada para reunião.

"Queremos agradecer a confiança que recebemos da maioria absoluta dos pontepretanos, traduzida nos votos que deram a vitória à MRP. O nosso foco é e sempre será o engrandecimento da Associação Atlética Ponte Preta", diz André Carelli, um dos coordenadores da chapa vitoriosa.

Na atual eleição, 834 pessoas estavam aptas a votar, já contadas as que tinham o direito garantido por liminares.

O número é quase igual ao de eleitores liberados no último pleito (250), porém a presença foi bem maior. Em 2017, somente 250 eleitores participaram da votação contra os 434 atuais.

Entre os presentes, pelo menos três ex-presidentes bateram cartão no Majestoso: Lauro Moraes, Peri Chaib e José Armando Abdalla Júnior.

"Foi uma eleição muito tranquila e democrática, sem nenhum tipo de problema. Inclusive, muito segura", afirma Tagino Alves dos Santos, presidente do Conselho Deliberativo, em entrevista.

Foi uma eleição transparente, dentro dos parâmetros do estatuto e da lei, como sempre deve ser", finalizou.

Polêmica

Ligada a Carnielli, a DNA Pontepretano orientou os apoiadores a não irem votar. Isso se deu após relatos de ameaças recebidas por telefone desde a noite da última sexta-feira. A chapa teve o pedido para suspender o pleito negado, porém já estuda formas de judicializar o resultado.

O resultado oficial foi divulgado no Salão Nobre Pedro Pinheiro, no Moisés Lucarelli, repleto de representantes do MRP. A apuração teve início logo após o encerramento da votação, que se estendeu das 13h às 20h, em Campinas.

No processo eleitoral, o grupo não indicou um candidato à presidência e vice, já que o estatuto do clube não faz nenhum tipo de exigência quanto a isso.

O MRP tem como principais expoentes Marcos Garcia Costa, Gustavo Valio, André Carelli e Marco Antônio Eberlin.

O pleito também contou com a participação de Sebastião Arcanjo, atual presidente da Ponte Preta - o atual mandato será encerrado no próximo dia 31 de dezembro. Vice-presidente, Hélio Kazuo foi o responsável por acompanhar a delegação em Aracaju, palco da vitória em cima do Confiança pelo placar de 1 a 0.

O resultado sacramentou, enfim, a permanência definitiva da Alvinegra, na 14ª colocação com 46 pontos, na segunda divisão nacional para 2022, garantindo calendário completo na temporada que vem.

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular