Publicado 15 de Setembro de 2021 - 8h53

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

Aos 24 anos, o goleiro Ivan está entre os dez goleiros que mais defenderam as cores da Macaca

Diego Almeida/Ponte Press

Aos 24 anos, o goleiro Ivan está entre os dez goleiros que mais defenderam as cores da Macaca

A derrota diante do Cruzeiro pelo placar de 1 a 0, em Sete Lagoas, fez Ivan alcançar a marca de 150 partidas oficiais pela Ponte Preta.

Cria das categorias de base, o goleiro é, nas quatro últimas temporadas, o nome de maior destaque individual da Macaca.

Com convocações sucessivas à Seleção Brasileira Olímpica e principal entre 2019 e 2020, o camisa 1 abriu trajetória como titular em 17 de janeiro de 2018, na estreia do Campeonato Paulista, em vitória diante do Corinthians, no Pacaembu, por 1 a 0 - de cara, pegou pênalti de Jadson.

A partir de então, o jogador de 24 anos tornou-se intocável na meta e colecionou milagres, inclusive em grande parte das campanhas da Alvinegra na Série B do Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Campeonato Paulista, cujo desempenho foi suficiente para ser lembrado por Tite.

"Para mim é uma grande honra. A Ponte Preta sempre teve a tradição de ter grandes goleiros. Poder atingir essa marca é um motivo de muito orgulho para mim. Na verdade, não só para mim, mas para a minha família também", diz Ivan, em entrevista ao site oficial do clube.

"Eu já estava muito feliz quando fui estrear. Completar 150 jogos, então, é algo inexplicável. Eu tive grandes partidas que vão ficar guardadas na minha mente e nunca vou esquecer. Como se fala, 'a primeira vez a gente nunca esquece'. Para mim, foi muito marcante. De lá para cá, foram grandes partidas, mas estrear de titular e ainda poder defender um pênalti, para um goleiro, não tem preço", emendou.

No período, porém, nem tudo foi maravilhas. O atleta ficou fora de combate entre novembro de 2020 e julho de 2021, graças à cirurgia ligamentar no punho direito, passando quase nove meses entregue ao Departamento Médico - na ocasião, foi substituído por Ygor Vinhas, hoje reserva.

O alto destaque de Ivan também fez a Ponte Preta comprovar o status de 'escola de goleiros', relembrando os ídolos Aranha, Carlos Gallo, Sérgio Guedes e Waldir Peres - muitos deles, inclusive, defenderam a Seleção Brasileira em Copa do Mundo e ganharam protagonismo no país.

Com 141 gols sofridos em 150 participações desde profissionalização no Estádio Moisés Lucarelli, Ivan já aparece entre os dez goleiros que mais defenderam as cores da Ponte Preta - neste momento, ele está em nono na lista, liderada por Carlos Gallo, com 437 jogos no currículo.

Caso siga no clube campineiro até o fim da Série B do Campeonato Brasileiro, o que é a tendência de momento, arqueiro vai chegar ao oitavo lugar do ranking, superando Wilson Quiteto com 159 - Aranha (209), João Brigatti (202), Sérgio Guedes (183) e Lauro (172) completam o top 5.

Veja a lista de defesas especiais para Ivan pela Ponte Preta:

• 17/01/2018: Corinthians 0 x 1 PON - Paulistão

• 02/11/2019: América-MG 0 x 0 PON - Série B

• 30/09/2020: Cruzeiro 3 x 0 PON - Série B

• 06/10/2020: Ponte Preta 2 x 0 PON - Série B

• 22/08/2021: PON 3 x 0 Brusque - Série B

"A gente trabalha sempre na intenção de não sofrer gols e de ajudar a equipe. Naquela partida contra o Brusque, eu fui bastante acionado. Pude fazer algumas defesas e, em especial, uma próxima do final do jogo, em um escanteio", relembra.

"O atacante deles estava praticamente sozinho na pequena área e, em cima da linha, consegui fazer com o pé uma grande defesa. Foi importante para mim e para o grupo. Eu fico feliz de estar ajudando meus companheiros", completa.

Além da importância técnica notória, Ivan é o principal ativo do elenco para aliviar os cofres até o fim de 2021.

A Ponte Preta tem, de acordo com última entrevista do presidente Sebastião Arcanjo, 60% dos direitos econômicos do camisa 1, enquanto 40% são divididos entre outras partes, não especificadas oficialmente.

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular