Publicado 18 de Agosto de 2021 - 21h02

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

Insatisfeito com excesso de desatenção em campo, treinador mostrou-se frustrado com erros

Álvaro Jr/Ponte Press

Insatisfeito com excesso de desatenção em campo, treinador mostrou-se frustrado com erros

A derrota diante do Coritiba pelo placar de 2 a 0, no Estádio Couto Pereira, foi fatal para Gilson Kleina exigir publicamente maior nível de concentração da Ponte Preta na Série B do Campeonato Brasileiro.

Insatisfeito com excesso de desatenção em campo, treinador mostrou-se frustrado com coleção de erros apresentados pela Macaca no primeiro turno.

"Nós estamos trabalhando para corrigir. Eu acho que nós chegamos muito fortalecidos. Mesmo com algumas perdas em cima do jogo, o calendário é para todos. Então é uma situação que a gente tenta mexer o menos possível para ter o nosso modelo de jogo. Nós nos equivocamos, principalmente no primeiro gol. É claro que não é normal. É atípico. A gente sabe da qualidade que é o nosso goleiro", analisou o comandante, em coletiva de imprensa.

"Quando a gente perde, perde todo mundo. Nós temos que entender como é que foi esse erro, trabalhar mais e ter mais nível de concentração, porque nós temos uma condição de fazer jogo de fora. Nós poderíamos ter buscado a nossa primeira vitória, mas escapou. Eu acho que a equipe tem que ter o nível de concentração o tempo todo", emendou.

Kleina classificou os vacilos apresentados pela Ponte Preta como 'anormais' em meio à luta contra a zona de rebaixamento.

O foco do comandante é trabalhar para minimizar ao máximo as consequências negativas dessa situação preocupante na tabela de classificação. "Não é porque você tomou um gol que você desiste. Eu acho que isso não aconteceu, mas o nosso poder de decisão e de finalização tem que melhorar. É claro que lamentamos a forma dos gols sofridos. Nós trabalhamos. É voltar a jogar dentro de casa. Que a gente possa fazer um segundo turno totalmente diferente e já mobilizar para fazer a vitória no próximo jogo", disse.

"Vamos fazer uma avaliação nesse primeiro turno. É claro que, no nosso campeonato, infelizmente, estamos trabalhando na tabela de baixo. É pontuar para ter ainda mais força e mais confiança para retornar dentro dos nossos domínios. Isso precisa ser feito como estamos resgatando", prosseguiu.

Ataque

Gilson lamentou a falta de contundência da Ponte Preta no setor ofensivo, normalmente com rendimento bem ruim longe do Estádio Moisés Lucarelli.

Apesar do controle de posse de bola, especialmente no segundo tempo, a Macaca teve poucas oportunidades claras - sempre nos pés de Moisés - de balançar as redes do líder Coritiba. "Nós chegamos muito no último terço e, infelizmente, não fizemos a melhor decisão. Nas vezes em que fizemos a melhor decisão, não tivemos a melhor escolha para poder finalizar e querer buscar o gol. Eu acho que nós criamos para isso. Teve essa situação. Nós colocamos o Coritiba para trás desde o primeiro tempo. Entraram muitas bolas em que nós trabalhamos no confronto", analisou.

Kleina evitou atrelar tropeço em Curitiba com ausência de André Luiz, principal responsável pela contenção e desfalque por terceiro amarelo. O setor cedeu espaço aos meias paranaenses e com medo poder de marcação em 90 minutos.

"Temos que enaltecer sempre quem está aqui. Sabe que temos jogadores importantes, mas nós também tivemos a ausência de Fábio Sanches e Rayan em um jogo decisivo. Nós ganhamos com o Thiago (Lopes). A gente tem que enaltecer e sempre olhar par frente", fechou.

Tabela

Com 19 pontos, Ponte Preta abre segundo turno na Série B do Campeonato Brasileiro neste domingo, 22 de agosto, diante do Brusque, no Estádio Moisés Lucarelli, a partir das 20h30.

Para este compromisso, Macaca conta com retorno de André Luiz, porém perde o lateral-direito Kevin pelo terceiro cartão.

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular