Publicado 06 de Agosto de 2021 - 9h44

Por Lucas Rossafa/Correio Popular

O centroavante Rodrigão interrompeu jejum de 17 meses e reencontrou o caminho das redes na Série B do Campeonato Brasileiro

Divulgação

O centroavante Rodrigão interrompeu jejum de 17 meses e reencontrou o caminho das redes na Série B do Campeonato Brasileiro

Passado o empate com o CRB, em Maceió, a Ponte Preta aproveita a segunda semana livre de treino antes de abrir nova maratona na Série B do Campeonato Brasileiro.

Fora da zona de rebaixamento, a Macaca encara oito jogos no intervalo de 31 dias entre agosto e setembro.

Em luta constante contra a parte debaixo da tabela, a Alvinegra, neste tempo livre no calendário, raro na temporada, busca engatar boa sequência de resultados positivos para ganhar respiro, amenizar pressão e aliviar definitivamente as peças entregues ao Departamento Médico.

Em todo mês de agosto e a primeira semana de setembro, time campineiro tem uma partida oficial a cada 3,87 dias, sendo quatro no Estádio Moisés Lucarelli: Londrina, Confiança, Brusque e Sampaio Corrêa, incluindo dois confrontos diretos na briga para se distanciar da degola.

A sequência intensa de rodadas, de acordo com a tabela básica da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), ocorre entre os dias 8 de agosto e 7 de setembro.

A maratona também inclui outros quatro compromissos como visitante: Botafogo, Coritiba, Vasco da Gama e Cruzeiro.

Neste período, a Ponte Preta ganha quatro dias livres entre Coritiba-Brusque, mais cinco dias entre Brusque-Vasco da Gama e, por fim, quatro entre Vasco da Gama-Sampaio Corrêa, tempo importante para Gilson Kleina realizar os ajustes técnicos e táticos, além de recuperar os desgastados.

Para frente

Na toada de Moisés e Rodrigão, a Ponte Preta tenta fazer o sistema ofensivo embalar bom momento na Série B do Campeonato Brasileiro.

Nas 15 primeiras rodadas, o ataque da Macaca só funcionou por dois jogos consecutivos em apenas três ocasiões distintas.

A Macaca foi à rede nos dois primeiros compromissos - em dose única - na derrota diante do Brusque pelo placar de 2 a 1 (Camilo) e no empate com o Vasco da Gama por 1 a 1 (Renatinho), mas passou em branco seguidamente contra Sampaio Corrêa, Cruzeiro, Guarani e Operário.

O time campineiro também balançou o barbante do adversário no empate com o Brasil de Pelotas por 1 a 1 (Dawhan) e na primeira vitória nos pontos corridos, com 2 a 1 em cima do CSA, em gols Moisés e Thalles - pouco depois, porém, ficou no 0 a 0 contra Avaí (casa) e Vila Nova (fora).

No momento, a Ponte Preta pode atingir maior sequência de gols na Série B. Para isso, comandados de Gilson Kleina precisam marcar contra o Botafogo, no domingo, 08 de agosto, no Rio de Janeiro - antes, o ataque funcionou no triunfo diante do Goiás (2-1) e na igualdade com CRB (1-1).

Ao menos na Bezona, a Macaca tem 'artilharia dividida' entre quatro atletas. São dois gols na conta de Dawhan, Camilo, Moisés e Rodrigão - do quarteto, o ex-volante é o único que já não faz mais parte do elenco, haja vista ter rescindido contrato para defender o Juventude na Série A.

Feito raro

Peça chave no empate por 1 a 1 com o CRB, Rodrigão volta a marcar por dois jogos consecutivos após quase duas temporadas.

Pela Ponte Preta, o centroavante interrompeu jejum de 17 meses e reencontrou o caminho das redes na Série B do Campeonato Brasileiro.

O camisa 99, antes de correr ao abraço em Maceió, deixou sua marca na vitória contra o Goiás, quando completou cruzamento de Rafael Santos e abriu o placar.

Tal feito não acontecia desde o fim de 2019, quando anotou seguidamente na igualdade com Cuiabá e no triunfo ante o Botafogo-SP.

Com boa referência de área e emprestado pelo Santos, Rodrigão, antes de chegar à Ponte Preta, encarou sequência de problemas físicos, após acesso pelo Coritiba, e teve quase oito meses de inatividade em virtude de cirurgia para retirada de um tumor na canela esquerda.

Escrito por:

Lucas Rossafa/Correio Popular