Publicado 06 de Agosto de 2021 - 9h43

Por Odair Alonso/Correio Popular

O meia Andrigo:

Divulgação

O meia Andrigo: "Muitas vezes a gente não controla o placar, mas controla nossas atitudes, é o primordial"

Com treinamentos físicos e táticos, o Guarani encerrou nesta quinta-feira os preparativos para o jogo da décima sexta rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, contra o Brasil de Pelotas, nesta sexta-feira, às 19h no Brinco de Ouro. O Bugre busca a reabilitação depois de duas derrotas seguidas por 4 tentos a 1.

O técnico Daniel Paulista, depois de dizer que o sinal de alerta estava ligado, tratou de intensificar os treinamentos, aprimorando as jogadas ensaiadas tanto na marcação, quanto na parte ofensiva, com ênfase nas bolas paradas, além de mexer muito com o moral da equipe que se abateu nas suas últimas apresentações depois de sofrer o primeiro gol.

Depois dos ajustes finais, a delegação seguiu para a concentração. A rigor ele é obrigado a fazer apenas uma alteração, com a saída de Régis, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. A entrada de Andrigo no meio campo é dada como certa. Mas ele ganhou outras opções durante a semana, com a liberação, principalmente de Carlão (que pode entrar no lugar de Ronaldo Alves), e de Eduardo Person pelo departamento médico e outra, com a contratação de Maxwell, atacante que já se encontra em condições físicas para atuar.

Júnior Todinho ainda vai levar mais tempo para ganhar condições de jogo. Outra dúvida é no ataque onde Allan Victor pode ganhar a posição de Matheus Souza. Apesar de contestado, Lucão do Break deve iniciar a partida, ganhando mais uma oportunidade.

O alviverde entra com seu treinador pendurado com cartões amarelos o mesmo acontecendo com cinco de seus atletas: Bruno Silva, Bruno Sávio, Índio, Bidú e Eliel. O Bugre ocupa no início da rodada a oitava colocação, com 23 pontos ganhos e tenta se aproximar do G4, novamente.

Andrigo

O meia Andrigo, que deve sair jogando nesta sexta-feira contra o Brasil de Pelotas, analisou o atual momento do Bugre: “Esses dois jogos foram atípicos, em que a gente sofreu de uma forma que não deveria, acabamos tomando muitos gols e isso é culpa de todo mundo. Assim, a gente trabalhou durante toda a semana para corrigir esses erros, essa questão de inteligência emocional que para mim foi fundamental nesses dois jogos”.

Sobre jogar com Régis, ou ser reserva ele observou: “É preciso respeitar as escolhas do professor, por mais que eu saiba das minhas capacidades, mas a competição em si dentro do clube eleva nosso nível e é uma disputa sempre sadia, e o campeonato é longo, tem lugar para os dois”.

E ressaltou a dificuldade de enfrentar o Brasil de Pelotas: “Como a gente trabalha jogo a jogo, independente da colocação do outro time, sempre é difícil. É encarar como se fosse uma final. Na minha visão, a primeira coisa que a gente deveria mudar, diferente desses dois últimos jogos seria nossa postura, ser mais agressivo na marcação. Muitas vezes a gente não controla o placar, mas controla nossas atitudes, é o primordial. Agora tanto faz a minha forma de jogar, a minha vida toda joguei de meia central, de extrema na direita, de extrema na esquerda e, em cada função, a gente usa o que tem de melhor”, concluiu.

FICHA TÉCNICA

Guarani x Brasil de Pelotas

Guarani

Gabriel Mesquita; Diogo Mateus, Thales, Ronaldo Alves (Carlão) e Bidú; Bruno Silva, Rodrigo Andrade e Andrigo; Allan Victor (Matheus Souza), Bruno Sávio e Lucão do Break (Maxwell)

Técnico: Daniel Paulista

Brasil de Pelotas:

Mateus Nogueira; Vidal, Leandro Camilo, Alan Dias e Kevin: Rômulo, Pierini e Renatinho; Júnior Viçosa, Netto e Ramon

Técnico: Cléber Gaúcho

Árbitro: José Mendonça da Silva Júnior PR

Estádio Brinco de Ouro

Nesta sexta-feira (6), 19h

Escrito por:

Odair Alonso/Correio Popular