Publicado 03 de Agosto de 2021 - 10h43

Por Odair Alonso/Correio Popular

Daniel Paulista afirmou que o time não poderá errar mais e que o sinal de alerta está ligadio no Brinco

Thomaz Marostegan/Guarani FC

Daniel Paulista afirmou que o time não poderá errar mais e que o sinal de alerta está ligadio no Brinco

Sinal de alerta ligado no Brinco de Ouro. Nos dois últimos jogos, duas derrotas e oito gols sofridos. Bugre caiu para a oitava posição no Campeonato Brasileiro da Série B. O técnico Daniel Paulista afirmou que os erros devem ser corrigidos o mais rápido possível. Para isso, a partir desta terça-feira o alviverde intensifica seus treinamentos, tanto físicos, quanto táticos para o jogo contra o Brasil de Pelotas, na próxima sexta-feira, às 19h no Brinco de Ouro. Alterações na equipe titular serão inevitáveis.

Primeiro, a mais sentida delas será a ausência do meia e artilheiro Régis, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Para o seu lugar parece certa a entrada do meia Andrigo. A atuação de Matheus Souza também não agradou e não será surpresa a entrada, desde o início da partida, do ponta Allan Victor, que entrou no segundo tempo e marcou o gol de honra contra o Vila Nova.

Daniel Paulista depende ainda de outras duas situações, a primeira é a contratação e inscrição dos dois atacantes que já estão treinando no Guarani, Júnior Todinho que já foi artilheiro do time no ano passado e Maxwell, que veio do Sport e espera apenas a liberação de seus documentos. Ambos têm chances de jogar. A outra situação está ligada ao Departamento Médico do Clube.

Operação

No último sábado em nota à imprensa, o Departamento Médico do Bugre comunicou a operação no joelho direito do avante Rafael Costa, o que o manterá afastado dos gramados por seis meses. O Bugre ainda espera a liberação de Carlão, Ian Carlo e Tony. De todos eles, Carlão é o que teria maiores chances de retornar a equipe principalmente por suas boas atuações antes da contusão. Mas tudo isso será resolvido nos treinamentos a partir desta terça-feira, até o apronto final, na quinta-feira.

O treinador bugrino pretende mudar o posicionamento da equipe e deixar o time muito mais compactado. São situações que ele pretende montar também a partir do estudo dos jogos do Brasil de Pelotas a quem prega muito respeito.

Daniel Paulista

O treinador quer tirar lições positivas da goleada sofrida diante do Vila Nova no último sábado, por 4 a 1: “a gente sempre tem que tirar coisas positivas inclusive nas derrotas. Um resultado como esse nos obriga a fazer uma reflexão, sobre um momento que eu acredito que é a primeira oscilação que a equipe vive dentro do campeonato, tanto no aspecto individual como coletivo e algumas coisas a gente precisa rever, precisa melhorar. Uma delas é quando estiver atacando ter um posicionamento melhor para não deixar os contra ataques do adversário virarem gols. Demos muito espaço ao Vila Nova, muita liberdade. Tudo isso será revisto”.

Para ele os dois últimos resultados foram absolutamente anormais: “a queda de rendimento nunca pode ser considerada normalidade, a gente tem que ficar atento para que quando isso ocorra, possa atuar para que a equipe retorne ao caminho dos bons resultados. Tem que ter leitura, serenidade, para tomar as melhores decisões. Temos mais um compromisso dentro de casa onde precisamos fazer diferente para conquistar os pontos que são necessários. A equipe vinha equilibrando seu saldo, só que nas duas últimas rodadas tomamos oito gols, vamos rever questões de posicionamento, para que a gente busque vencer novamente”.

Daniel enumera situações determinantes para o resultado: “os espaços que demos ao adversário, a compactação falhou, reação demorada, passe não foi seguro, más finalizações. Enfim, o sinal de alerta está bem aceso, bem nítido à nossa frente para que a gente atue de maneira equilibrada. É um momento de instabilidade, o campeonato é equilibrado, as equipes são muito parecidas e os jogos são decididos nos detalhes”, disse.

Escrito por:

Odair Alonso/Correio Popular