Publicado 16 de Julho de 2021 - 19h26

Por Estadão Conteúdo

Lewis Hamilton, da Mercedes

Divulgação

Lewis Hamilton, da Mercedes

Lewis Hamilton foi o mais veloz nesta sexta-feira e vai largar em primeiro na corrida classificatória de sábado, a chamada "sprint race", que vai decidir o grid para o GP da Inglaterra de Fórmula 1, a 10.ª etapa da temporada 2021, a ser disputada no domingo, no Circuito de Silverstone.

O piloto inglês da Mercedes completou a volta mais rápida em 1min26s134, seguido pelo holandês Max Verstappen, da Red Bull, que ficou 0s075 (1min26s209). Valtteri Bottas, companheiro de Hamilton, ficou na terceira posição (1min26s328).

A Ferrari apareceu em quarto lugar com o monegasco Charles Leclerc (1min26s828), à frente do mexicano Serio Pérez, da Red Bull (1min26s844). A McLaren veio na sequência com o britânico Lando Norris (1min26s897) e o australiano Daniel Ricciardo (1min26s899).

O espanhol Carlos Sainz Jr. levou a sua Ferrari para a nona colocação (1min27s001), atrás do britânico George Russell (1min26s971), da Williams. O tetracampeão Sebastian Vettel, da Aston Martin, fechou a lista dos dez primeiros (1min27s179).

Os carros voltam para a pista neste sábado, às 8 horas, para o segundo treino livre, com duração de 60 minutos. Depois, às 12h30 será a corrida classificatória, de 100 quilômetros (17 voltas), para definir o grid para a corrida.

Para o treino livre, as equipes terão direito a um jogos de pneus de livre escolha, número que aumenta para dois na corrida classificatória (pit não obrigatório).

Com casa cheia nas arquibancadas, o primeiro treino livre antes da sessão oficial de classificação terminou com a liderança do holandês Max Verstappen, da Red Bull, que liderou com folga, enquanto que o britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, seu concorrente ao título, foi o terceiro, quase oito décimos atrás

A organização do GP da Inglaterra firmou uma parceria com o governo britânico e a etapa será realizada com casa cheia, com pessoas totalmente vacinadas ou que tenham apresentado um teste PCR negativo. Isso faz parte de uma pesquisa maior das autoridades para entender como manter a realização de eventos esportivos mesmo em momentos de alta dos casos de covid-19.

Escrito por:

Estadão Conteúdo