Publicado 16 de Julho de 2021 - 9h52

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

Goleiro da Seleção Brasileira, antes da contusão, Ivan disse que não ficou frustrado por não ir a Tóquio

Divulgação

Goleiro da Seleção Brasileira, antes da contusão, Ivan disse que não ficou frustrado por não ir a Tóquio

A Ponte Preta segue em preparação para enfrentar o Remo, neste sábado, a partir das 18h30, no Estádio Moisés Lucarelli.

À espera de novidades do Departamento Médico para definir a escalação, Gilson Kleina tem chance de manter o mesmo time que foi até Recife, onde arrancou empate do líder Náutico.

Quem tem vaga garantida entre os 11 é Ivan. Recuperado de cirurgia para corrigir lesão ligamentar no punho direito, o goleiro confia em reabilitação da Macaca, sem perder há seis jogos e dentro da zona de rebaixamento.

"O importante é que não estamos perdendo. A gente sabe que precisa de resultados e de vitórias. O campeonato é longo, não tivemos, no início, bons resultados. Sei que o time da Ponte tem condições de brigar lá em cima. Então é continuar trabalhando e mantendo os pés no chão", afirmou o camisa 1, em coletiva. "Eu acho que esse jogo contra o líder nos trouxe ainda mais tranquilidade e mais confiança. Jogar na casa do adversário, jogar de igual para igual e criar inúmeras chances nos traz tranquilidade. Eu tenho certeza de que, daqui a pouco, a bola começa a entrar no gol do adversário e a gente consegue administrar os jogos e conseguir as vitórias. É o que mais nos importa", emendou.

Atleta com mais tempo de casa no elenco, Ivan comentou sobre o espírito de liderança desenvolvido na Ponte Preta desde a estreia no profissional em 2018. "Eu já estou há um bom tempo aqui no clube. Já são mais de oito anos desde a categoria de base. Então, conheço bem a casa. Respeito também todos que estão trabalhando aqui no dia a dia. Tem grandes jogadores aqui no elenco também e, às vezes, até mais experientes do que eu, porém é uma troca de liderança", disse.

"A gente sempre tenta ser positivo. É o meu primeiro jogo em que eu estive retornando, mas eu já tinha visto melhora no elenco nos jogos anteriores. Estamos há um tempo sem perder. Então que possamos transformar esses empates em vitória, começando pelo próximo jogo que é o Remo", acrescentou.

Tóquio

De volta aos gramados após praticamente nove meses, Ivan negou frustração por não ter sido convocado aos Jogos Olímpicos de Tóquio.

O arqueiro era dono da posição da Seleção Brasileira antes do período de inatividade. "Frustração por não ir à Olímpiada não é palavra certa. Eu acho que ia ficar frustrado se realmente estivesse atuando, jogando e não ter sido convocado. A frustração é mais pela lesão mesmo”, comentou.

"Eram inúmeras oportunidades positivas que poderiam ter acontecido se não tivesse parado, mas eu acho que a frustração fica na parte da lesão. O que importa é que eu estou feliz agora. Eu voltei a fazer o que eu mais amo, que é jogar futebol, e dar sequência na minha carreira também", completou.

Ivan aproveitou oportunidade para estender agradecimentos à comissão técnica da Seleção Olímpica pela atenção dada durante processo de reabilitação na Ponte. "Gostaria de agradecer toda comissão da Seleção pela atenção que me deram, mesmo lesionado. Eu acho que o meu principal objetivo aqui na Ponte é manter a minha regularidade. Para um atleta chegar à Seleção, ele tem que fazer um ótimo trabalho aqui no clube. Nas outras vezes quando fui convocado para Seleção principal foi assim. O Brasil também está muito bem representado de goleiros, tanto na Seleção Olímpica quanto na Seleção principal", pontuou.

Em 2021, Ivan esteve envolvido em, pelo menos, cinco especulações sobre possível transferência da Macaca para um clube da Série A: Bahia, Grêmio, Flamengo, Juventude e São Paulo.

"Diretamente, para mim, não chegou nada. Eu mantive 100% focado na minha recuperação”, concluiu.

 

 

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular