Publicado 24 de Novembro de 2021 - 8h49

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

Mesmo com Brinco de Ouro lotado, o Guarani não conseguiu fazer valer o mando de jogo contra o Goiás

Thomaz Marostegan/Guarani FC

Mesmo com Brinco de Ouro lotado, o Guarani não conseguiu fazer valer o mando de jogo contra o Goiás

A derrota diante do Goiás pelo placar de 2 a 0, em pleno Brinco de Ouro da Princesa, deixou o Guarani praticamente sem chances de acesso à Série A do Campeonato Brasileiro.

Embora tivesse envolvido o Esmeraldino no primeiro tempo e transformado o goleiro Tadeu no melhor em campo, o Bugre deixou a desejar no quesito eficiência e pontaria nas finalizações e amargou tropeço diante de 16.584 pessoas.

Em coletiva de imprensa, Daniel Paulista condenou os erros individuais cometidos em campo para deixar escapar a vitória que colocaria o Alviverde na terceira colocação e a um passo da primeira divisão.

“Foram erros capitais que tivemos em momentos decisivos da partida. O Guarani foi melhor dentro da partida. Talvez, foi superior até os 25 minutos do segundo tempo, onde o fator psicológico, o nervosismo e a ansiedade de buscar o resultado atrapalharam um pouco no final. A equipe acabou se desorganizando e se perdendo em algum momento”, analisou o comandante, na tentativa de explicar o tropeço em casa.

“A equipe do Guarani foi dona do primeiro tempo com triangulações e com penetrações por dentro e pelos lados, criando muitas oportunidades e fazendo o Tadeu como o grande personagem da partida.

Infelizmente, a gente também não foi feliz nos lances finais para traduzir essas oportunidades em gols e, talvez, ter escrito uma história diferente. Foi uma derrota dura”, adicionou.

Apesar de toda frustração pelo revés, que praticamente garantiu a permanência na Série B para 2022, Daniel fez questão de exaltar o estilo de jogo apresentado pelo Guarani.

“Foi uma derrota doída, mas eu acho que saíamos de cabeça erguida pela luta e pelo futebol apresentado. Mais uma vez, jogando para cima e para frente. Quando perdeu, perdeu jogando atacando e procurando o gol. Eu acho que isso vem muito com a história própria do clube. Eu acho que, se por acaso a gente vier a perder, temos que perder atacando, perder jogando, procurando criar e procurando atacar”, declarou.

“Eu acho que esse é o futebol que o Guarani tem apresentado durante toda a competição. Os números mostram isso com o aproveitamento e a trajetória toda. É dessa forma como vamos continuar trabalhando na última partida, lutando até o final em busca do acesso. A chance eu sei que é pequena. Enquanto tiver chance, temos que correr atrás, porque estamos vestindo uma camisa de um grande clube que merece o respeito e o profissionalismo como estamos trabalhando desde o início”, completou.

Aprovou

Daniel Paulista também revelou satisfação com a qualidade do futebol exibido pelo Bugre na decisão contra o Goiás.

“Eu acho que o time foi bem. Nós temos que analisar rendimento e resultado. Se for ver o resultado, é lógico que não foi o que nós gostaríamos e nem para o que trabalhamos, mas o Guarani apresentou um rendimento satisfatório. É lógico que estamos chateado, porque poderíamos ter aproveitado as oportunidades criadas”, pontuou.

“Quando você joga uma partida e faz o goleiro adversário como o melhor jogador, não pode dizer que a equipe jogou mal. É lógico que assumimos os erros que aconteceram dentro do jogo, mas temos que continuar trabalhando, sempre em busca da melhora, para que, na próxima partida, a equipe que possa corrigir os erros que foram apresentados. Que a gente possa traduzir o rendimento também em resultado”, finalizou.

O que vem por aí?

Com 59 pontos e em sétimo lugar, o Guarani encerra participação na Série B do Campeonato Brasileiro no próximo domingo, 28 de novembro, contra o Botafogo, já com o título garantido, no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, a partir das 16h.

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular