Publicado 19 de Junho de 2021 - 10h48

Por Odair Alonso/Correio Popular

Estádio Princesa d'Oeste, em Campinas

Divulgação

Estádio Princesa d'Oeste, em Campinas

O Bugre preferiu fechar os últimos treinamentos para encerrar a preparação visando o dérbi de número 200, às 18h30 deste sábado (19), no Brinco de Ouro, válido pela nona rodada da série B do campeonato brasileiro. A imprensa já não vinha acompanhando os trabalhos devido a pandemia, mas as imagens sequer foram divulgadas pela assessoria de imprensa do clube.

O elenco também foi blindado e ninguém pode conceder entrevista. A maior novidade, contudo, é a presença de Andrigo entre os relacionados, sendo mais certo que fique no banco de reservas à disposição de Daniel Paulista. Outros que retornam com certeza, são Thales, zagueiro que volta de suspensão e Júlio César, atacante que também retorna depois de cumprir suspensão automática. O volante Rodrigo Andrade que sentiu dores na coxa se recuperou e vai para o jogo normalmente. Outro que ficou em Campinas, sendo poupado e se condicionando, é o meia Régis, que vai ocupar a função de armador da equipe.

A única baixa confirmada é a do goleiro Rafael Martins que passou por cirurgia para correção de uma fratura no rosto. Se não houver nenhum imprevisto e com o retorno de todos os poupados no jogo contra o CSA em Alagoas o alviverde deve entrar em campo com Gabriel Mesquita, Diogo Mateus, Thales, Carlão e Bidú; Bruno Silva, Rodrigo Andrade e Régis; Júlio César, Bruno Sávio e Davó.

Uma das atrações no banco de reservas será a presença de Allan Victor (Allanzinho) que veio do Santos e está treinando forte para buscar um lugar no time titular. Durante a semana ele demonstrou todo seu desejo de jogar o clássico. Depois dos treinamentos os jogadores e a comissão técnica seguiram para a concentração onde devem permanecer até duas horas antes do jogo, quando seguirão para o Brinco de Ouro.

O Guarani confirmou oficialmente a chegada, por empréstimo do zagueiro Ronaldo Alves, do Náutico. Seu nome já foi publicado no BID da CBF e o atleta fica à disposição do treinador no banco de reservas.

Retrospecto

O técnico Daniel Alves disputou quinze clássicos em sua carreira até aqui, com seis vitórias, cinco derrotas e quatro empates. A derrota mais sentida foi justamente a de 1 a 0 para o Sergipe, que acabou custando seu emprego. Hoje, ele disputa, sem sombra de dúvidas, o clássico mais importante de sua carreira, o dérbi campineiro. Justamente o décimo sexto embate é que vai dizer muita coisa a respeito dos números em sua carreira

 

Escrito por:

Odair Alonso/Correio Popular