Publicado 05 de Junho de 2021 - 11h10

Por Thais H. Bento e Lucas Rossafa/Correio Popular

O primeiro gol de Davó pelo Bugre em 2021 foi dia 5 de maio, contra a Ponte Preta, no Dérbi 199

Thomaz Marostegan/Guarani FC

O primeiro gol de Davó pelo Bugre em 2021 foi dia 5 de maio, contra a Ponte Preta, no Dérbi 199

Com status de titular absoluto no Guarani, Davó dobrou a média de gols e triplicou as assistências em relação à primeira passagem pelo Brinco de Ouro da Princesa. Protagonista na goleada em cima do Operário, o atacante alcançou o segundo tento em dez duelos pelo bugre.

Antes de balançar as redes no Estádio Couto Pereira na vitória contundente pelo placar de 5 a 2, na terça-feira, o camisa 30 havia marcado pela primeira vez em 2021 no dia 5 de maio, quando descontou na derrota diante da Ponte Preta, no Dérbi 199, no Moisés Lucarelli, por 3 a 1.

Na temporada retrasada, após destacar-se na Copa São Paulo de Futebol Júnior, foi treinado por Vinícius Eutrópio, Roberto Fonseca e Thiago Carpini e anotou três vezes em 30 compromissos.

Além de ter apresentado evolução no número de bolas na rede, o atleta também aguçou o espírito de garçom. Prova disso é que, desde o retorno ao Guarani, já contribuiu com três assistências entre o Campeonato Paulista e a Série B.

Desde abril, Davó deu passe decisivo aos gols de Bruno Sávio (São Paulo e Operário) e Andrigo (Ferroviária), além de participar da construção das jogadas de outros. O profissional, na trajetória inicial em Campinas, colecionou só um toque decisivo para Lucas Crispim (Atlético-GO).

Aos 21 anos, o atacante, emprestado pelo Corinthians até 25 de junho, retornou ao bugre escalado pelo lado direito, ainda nos tempos do ex-técnico Allan Aal, porém, realizou inversão com Bruno Sávio no fim da primeira fase do Estadual e tem sido escalado em função centralizada.

Davó, porém, ainda não marcou oficialmente no Brinco de Ouro da Princesa. Todos os quatro gols pelo Guarani foram registrados na condição de visitante, contra Sport, Figueirense, São Bento e Operário.

Em casa, dois tentos legítimos acabaram anulados - diante do Paraná (2019) e Palmeiras (2021).

Finalmente

Régis aproveitou a nova chance entre os titulares do Guarani e, enfim, desencantou desde sua chegada a Campinas. Decisivo no atropelo em cima do Operário, o meio-campista anotou o primeiro gol pelo Bugre em nove participações.

Com a ausência de Andrigo, vetado do duelo em Curitiba por desconforto no pé, o armador chamou a responsabilidade e participou das principais ações ofensivas do Alviverde de forma direta. Contratado poucos dias antes da paralisação do Paulista em março por conta da pandemia de Covid-19, Régis apresentou seu cartão de visitas na derrota diante do Corinthians, por 1 a 0, ao ser o melhor em campo, além de carimbar bola na trave.

O camisa 78, entretanto, após dois jogos consecutivos como titular, perdeu a vaga no elenco, então sob comando de Allan Aal, por apresentar sintomas de dengue, passar alguns dias hospitalizados e ver condição física diretamente prejudicada em meio à maratona de jogos.

Além disso, Régis viu Andrigo, tido como principal concorrente pelo setor de armação, viver melhor momento em Campinas e tornar-se intocável.

A dupla até foi escalada como titular em algumas ocasiões no Campeonato Paulista, como no Dérbi 199, porém, sem surtir efeito prático.

Esquece

O nome de Luiz Gustavo agitou as redes sociais com a informação de possível retorno ao Brinco de Ouro da Princesa. O zagueiro, em contato com a reportagem do Correio Popula, negou ter negociações em andamento junto ao bugre.

"Não tem nada com o Guarani. Eu tenho bom relacionamento com o presidente Ricardo Moisés, porém, não fui procurado. Estou em recuperação de cirurgia no ligamento do joelho. Tenho um carinho muito grande pelo Guarani, mas não existe nenhuma possibilidade de retorno neste momento. Eu me sentiria muito honrado em vestir essa camisa novamente no futuro", assegurou.

 

Escrito por:

Thais H. Bento e Lucas Rossafa/Correio Popular