Publicado 03 de Junho de 2021 - 11h29

Por Lucas Rossafa/Correio Popular

Davó, atacante do Guarani, marcou um dos gols da vitória da equipe em Curitiba: o primeiro dele nesse retorno em 2021

Thomaz Marostegan/Guarani FC

Davó, atacante do Guarani, marcou um dos gols da vitória da equipe em Curitiba: o primeiro dele nesse retorno em 2021

Daniel Paulista, como não poderia ser diferente, ficou satisfeito com o que viu na goleada do Guarani em cima do Operário, na última terça-feira à noite, pelo placar de 5 a 2, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba.

Com o primeiro resultado positivo desde a chegada ao Brinco de Ouro da Princesa, o treinador vibrou com o desempenho do bugre na defesa e no ataque.

"Estou muito satisfeito pelo futebol que a equipe apresentou, tanto a ofensividade no último terço do campo, mas também com o que a equipe apresentou defensivamente. Enfrentamos um adversário muito qualificado, que mostrou isso na primeira rodada. Em determinados momentos do jogo, colocou o seu futebol em prática, mas eu acho que, com a nossa estratégia montada, a entrega dos atletas e a boa marcação que fizemos, conseguimos neutralizar esse adversário", afirmou.

"A gente conseguiu criar, a partir disso, boas oportunidades na frente. Tem muita coisa ainda para ser melhorada e para ser inaugurada. Nós não tivemos muito tempo e praticamente tempo nenhum entre uma partida e outra. Só descansamos os atletas. Na parte visual, tentamos montar a estratégia para o outro, mas me deixou bastante satisfeito a entrega e a determinação dos atletas. Mostra que nós estamos no caminho certo. Agora, com a consciência e os pés no chão que ainda tem muita coisa pela frente", emendou.

O comandante também elogiou o comportamento dos atletas do Guarani e a execução à risca da estratégia para construir triunfo elástico e com cinco gols. "Não tenha dúvida que o interesse, a vontade e a determinação, mas também cumprir a questão da parte tática e da estratégia que a gente montou. Eu acho que os atletas foram muito aplicados quando não tiveram a bola. Quando a gente teve a posse de bola, principalmente no campo ofensivo do adversário, nós tivemos a personalidade e tivemos a determinação ali na frente para acreditar no potencial individual e coletivo para criar boas jogadas como criamos", pontuou.

"Foi ter a frieza que, talvez no jogo contra o Vitória, faltou um pouco nas oportunidades que a gente teve. Hoje, os nossos atletas foram muito mais tranquilos na hora de finalizar e finalizaram muito bem para que a gente pudesse construir esse resultado", completou.

Pé no chão

O técnico bugrino, contudo, cortou qualquer tipo de euforia após goleada e admitiu que ainda vê margem de evolução e aprimoramento do Guarani. "Eu acho que é o início de um trabalho. São sete dias hoje dentro do clube e dois jogos já efetuados. Acredito que os jogadores estão começando a entender um pouco daquilo que a gente quer, mas ainda muito em uma fase inicial. Sabemos que tem que ter aí muito pé no chão e conter a euforia. É lógico que tem que ser comemorada, mas pés no chão. Tem muita coisa para se evoluir e muita coisa para trabalhar. O campeonato está só no começo", alertou.

"A tendência é de que seja um campeonato extremamente competitivo, com todas as equipes muito próximas em termos de futebol jogado e em termo de resultados. Então a gente tem muita coisa para evoluir. Eu acho que, no segundo tempo, a equipe administrou mais o placar. O adversário tentou ali uma reação, mas logo foi contido pela nossa equipe, que voltou a dominar a partida, fez mais um gol para dar tranquilidade e conquistou uma grande vitória. Nos dá a confiança e a tranquilidade de trabalhar agora alguns dias para ir, aos poucos, ir colocando cada vez mais o nosso trabalho em prática, finalizou.

E agora?

Na liderança provisória da Série B com quatro pontos, o Guarani volta a campo na próxima sexta-feira, 11 de junho, diante do Náutico, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, a partir das 21h30.

Expulso em Curitiba por confusão com Alex Silva, o goleiro Rafael Martins é o único desfalque confirmado até o momento. Vetado do duelo no Paraná por desconforto no pé, o meia Andrigo não deve ser problema ao bugre.

Escrito por:

Lucas Rossafa/Correio Popular