Publicado 02 de Junho de 2021 - 11h29

Por Thais H Bento/Correio Popular

Josiel: atacante foi peça no Campeonato Mato-Grossense; atuou em 14 jogos pelo Cuiabá e marcou quatro gols

Diego Almeida/PontePress

Josiel: atacante foi peça no Campeonato Mato-Grossense; atuou em 14 jogos pelo Cuiabá e marcou quatro gols

A Ponte Preta confirmou a quinta contratação para a Série B do Campeonato Brasileiro. Trata-se do atacante Josiel, ex-Cuiabá. O jogador chegou em Campinas nessa terça-feira para realizar exames médicos e deve ser inscrito em breve.

Josiel tem 22 anos, é natural de Várzea Grande-MT e pode atuar também como lateral direito. Ele foi peça no Campeonato Mato-Grossense desse ano, atuou em 14 jogos pelo Cuiabá e marcou quatro gols. Ele foi titular na reta final da competição.

O jogador vem por empréstimo para a Ponte Preta até o final na temporada e não tinha sido anunciado antes devido a um atraso na renovação de contrato com o clube de Mato Grosso. Agora, faltam poucos detalhes para ele iniciar sua caminhada em Campinas.

Josiel tem pouca experiência. Iniciou no Sub-20 do Grêmio em 2018, depois passou pelo Nacional e começou a carreira como profissional no Cuiabá, em 2019. Passou também pelo Azuriz-PR e retornou.

Além de Josiel, a Ponte Preta já oficializou quatro reforços: o atacante Richard, o lateral-esquerdo Rafael Santos, o volante Lucas Cândido e o lateral-direito Kevin. Resta agora registrar todos os atletas no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Apenas Rafael Santos já está à disposição e registrado.

Semana de treinamentos

A Ponte Preta tem toda a semana para se preparar para o próximo confronto da Série B, o Vasco às 16h, no próximo domingo, no estádio Moisés Lucarelli. Jogo da segunda rodada da competição.

Esse período será um reinício, já que Gilson Kleina é quem comanda a equipe. Nessa terça-feira, Kleina conversou com o elenco no período da manhã e a tarde realizou treino no CT (Centro de Treinamento) do Jardim Eulina. Os jogadores que não atuaram contra o Brusque ou jogaram pouco fizeram um jogo-treino contra o Sub-20.

As novidades na atividade foram os recém-contratados atacante Josiel e laterias Kevin e Rafael Santos e também o zagueiro Rayan, recuperado de lesão muscular na coxa esquerda.

Em entrevista coletiva online no período da tarde, o zagueiro Ednei comentou sobre o contato da equipe com o novo técnico: "É um treinador que conhece bem o clube, foi muito bem recebido por todos, é claro, tem uma história bacana na Ponte e com certeza foi ajudar bastante para que a gente possa ter sequência no campeonato."

Ednei retornou na última partida, contra o Brusque, após três meses parado por lesão. Ele compôs a zaga ao lado de Ruan Renato e deve continuar como titular. "A gente passou por um período que nenhum jogador gosta de passar, estar machucado é uma coisa ruim, ainda mais no meu caso que foi a primeira vez na minha carreira. Acredito que não comprometi, consegui fazer aquilo que foi pedido pelo treinador, tentei fazer o melhor, claro que falta um pouco de ritmo de jogo, tempo de bola em algumas situações, mas acredito que para a primeira partida, depois de três meses, foi até um bom jogo, individualmente falando", contou.

O zagueiro afirmou também que não está 100% fisicamente, mas que está à disposição para ajudar o time. Questionado sobre as falhas do sistema defensivo, ele não culpou apenas esse setor do campo: "O futebol não se faz com dois zagueiros, é um esporte coletivo e todo mundo tem a sua parcela de responsabilidade para defender. A gente precisa sim melhorar o sistema defensivo no geral, do ataque até a defesa, e isso vai ser ajustado com o professor Kleina", disse.

Para o próximo jogo, contra o Vasco, em casa, a Macaca vai buscar a primeira vitória e o primeiro ponto no Campeonato Brasileiro. Por ser uma equipe que caiu de divisão no ano passado, possivelmente vai trazer dificuldades para o time campineiro. "O Vasco vem de uma derrota, é um time de muita expressão e com certeza vai dar o máximo para vencer a gente e nós temos que dar o máximo para não perder. Se a gente for jogar contra um time de menor expressão, precisamos ter o mesmo nível de concentração porque é um campeonato difícil, de nível muito igual e não pode dar mole em momento algum", afirmou.

Escrito por:

Thais H Bento/Correio Popular