Publicado 30 de Maio de 2021 - 10h39

Por Correio

Michel  Alves: maus resultados do Guarani no Paulista não abalaram prestígio junto à diretoria

Thomaz Marostegan/Guarani FC

Michel Alves: maus resultados do Guarani no Paulista não abalaram prestígio junto à diretoria

Na segunda temporada à frente do Guarani, Michel Alves segue intocável como superintendente executivo de futebol. Tido como um dos principais alvos da torcida nas redes sociais, sobretudo após eliminação diante do Mirassol nas quartas de final do Campeonato Paulista, o dirigente, ao que tudo indica, deve ter vida longa dentro do clube por uma série de fatores.

Abaixo, o Correio Popular enumera por quais motivos o ex-goleiro é tão elogiado no Estádio Brinco de Ouro da Princesa.

Confiança

Michel Alves é, acima de tudo, o homem de confiança de Ricardo Miguel Moisés, presidente do Conselho de Administração.

Foi o mandatário, inclusive, quem apostou no profissional no fim de dezembro de 2019, após passagem pelo Cuiabá, para dar início ao processo de reformulação do elenco para disputa do Campeonato Paulista e, juntos, bancaram efetivação do ex-técnico Thiago Carpini.

A relação profissional construída com o passar do tempo resultou, evidentemente, no fortalecimento da amizade também fora do Queijo.

Apesar da pressão em cima do trabalho do ex-atleta em momentos de instabilidade e maus resultados dentro de campo, como foi na Série B do ano passado, Moisés nunca cogitou demissão e bancou a continuidade do trabalho.

Perfil

A forma de atuação também é totalmente aprovada por Moisés. O responsável pelo Departamento de Futebol, assim como o presidente, tem como filosofia de não deixar vazar possíveis contratações/desligamentos à imprensa e concentram entre si as negociações no mercado, seja com atletas ou treinadores.

Ser discreto, firme nas decisões e transmitir poucas informações para pessoas de até dentro do clube são vistos como pré-requisitos importantes para o 'casamento' perdurar há mais de um ano e meio.

Michel é um dos primeiros profissionais a chegar no Guarani e um dos últimos a ir embora. Habituado à rotina de Campinas, onde sente-se 'em casa', o cartola trabalha tanto quanto o presidente ou até mais no networking com empresários ligados ao mundo da bola e também atletas.

Ideologia

Michel aceitou o desafio à frente do Guarani consciente de que não poderia fazer investimentos astronômicos para não extrapolar a folha salarial, bem apertada em 2020, e evitar aumento da dívida milionária.

Com investimentos cada vez maiores e gradativos por conta do processo de reorganização financeira, dirigente abraçou a ideia de Ricardo Moisés de gastar menos do que arrecada, o que é bem visto internamente.

Apesar de todas as dificuldades econômicas impostas por perda de receitas, especialmente durante a pandemia da Covid-19 e na Justiça do Trabalho, onde 20% do que entra em caixa é retido na fonte, cartola, pelo menos para grande maioria, tem feito o 'feijão com arroz' para montar elencos minimamente competitivos e manter o Guarani na Série A1 do Campeonato Paulista e Série B do Campeonato Brasileiro.

 

Relacionamento

Apesar de quatro trocas a partir de 2020, Alves é muito elogiado pelas comissões técnicas com passagens recentes pelo Guarani. Muito querido por Felipe Conceição, atualmente no Cruzeiro, superintendente é exaltado justamente por blindar o vestiário e evitar que problemas externos afetem a produtividade coletiva em campo.

Informações recebidas pela reportagem dão conta de que Michel, até para respeitar a reunião particular do elenco, 'vetou' gravação de alguns momentos de bastidores e se retirou-se do local sob argumento de que 'o momento é deles', o que foi visto por alguns como 'espelho' para os demais membros do Conselho de Administração.

Contestado pelos bugrinos após tropeço em Mirassol, Alves não viu de perto as penalidades desperdiçadas por Airton e Pablo no Estádio José Maria de Campos Maia, que deixou o Bugre fora da competição.

Escrito por:

Correio