Publicado 27 de Maio de 2021 - 11h16

Por Lucas Rossafa/Correio Popular

Em busca de afirmação , o novo treinador do Bugre assume sua primeira oportunidade no futebol paulista

Thomaz Marostegan/Guarani FC

Em busca de afirmação , o novo treinador do Bugre assume sua primeira oportunidade no futebol paulista

Agora no Guarani, Daniel Paulista substitui Allan Aal, anunciado pelo CRB, no principal desafio da carreira.

Em busca de afirmação no Brinco de Ouro, o treinador assume o bugre na primeira oportunidade à frente do futebol em São Paulo. Natural de Ribeirão Preto, o ex-volante aposentou-se no ABC em 2014 e aventurou-se à beira do campo. O Correio Popular conta, nesta edição, a história do comandante depois de pendurar as chuteiras.

O primeiro desafio foi à frente do Sport, pelo qual tornou-se ídolo da torcida como jogador, faturou tricampeonato do Pernambucano - 2008, 2009 e 2010 - e a Copa do Brasil de 2008.

Daniel foi bancado pela diretoria no fim da Série A do Brasileiro em 2016 na vaga de Oswaldo de Oliveira, que acertara com o Corinthians, e alcançou a meta de escapar da zona de rebaixamento: foram oito jogos até dezembro, quatro vitórias, um empate e três derrotas.

Aposta para 2017, conseguiu os objetivos traçados - classificação para quarta fase da Copa do Brasil, segunda etapa da Copa do Nordeste e semifinal do Estadual -, mas acabou afastado do cargo após 25 jogos: 15 triunfos, cinco igualdades, cinco reveses e 66,6% de aproveitamento.

Em 2018, Paulista teve curta passagem - talvez para ser esquecida - pelo Boa Esporte na Série B. Apenas 47 dias após ser anunciado como substituto de Sidney Moraes, trabalhou em oito jogos, com desempenho de 25% dos pontos disputados - uma vitória, três empates e quatro tropeços.

O comandante depois aceitou proposta do Confiança, onde colheu bons resultados. Em praticamente um ano, comandou equipe em 40 partidas, com 18 resultados positivos, 11 igualdades, 11 reveses e 54,1% de aproveitamento.

Neste período, mesmo sem ter conquistado o título, alcançou o acesso pelo Dragão na Série C em 2019, carimbou a classificação para a Copa do Nordeste, despediu-se com invencibilidade em 2020 e o combo 'liderança e melhor campanha' em torneios regional e estadual.

O atual comandante do Guarani deixou Sergipe e voltou ao Sport em fevereiro de 2020, quando assumiu o cargo após queda na primeira fase da Copa do Brasil.

Na segunda passagem pelo Leão da Ilha somou 17 jogos, com seis vitórias, cinco empates e seis derrotas - aproveitamento de 45%. O último trabalho executado foi também no Confiança, encerrado em 10 de maio. Em seis meses na Arena Batistão, garantiu permanência a segunda divisão, porém, amargou três eliminações consecutivas em 2021: Campeonato Sergipano, Copa do Nordeste e Copa do Brasil.

Na segunda chance pelo Dragão, Paulista acumulou 50 participações, com 19 triunfos, 13 igualdades, 18 reveses e aproveitamento total de 46,6%. Somando as duas trajetórias pela capital, o rendimento subiu para 50% no decorrer de 90 duelos: 37 vitórias, 24 empates e 29 derrotas.

"Quando eu aceitei esse desafio, aceitei porque acredito em tudo que tem o Guarani hoje e no potencial que sempre teve em estar procurando desenvolver o meu trabalho da melhor forma e atender às expectativas, que a gente sabe que é grande. A gente sabe que a responsabilidade é imensa, principalmente pela cobrança do nosso torcedor. Então a expectativa é trabalhar e colocar a cara em campo para que conquistemos as vitórias, que é o que mais precisamos", pontuou o treinador.

Daniel estreia à frente do Guarani nesta sexta-feira, 28 de maio, diante do Vitória, no Brinco de Ouro, às 19h, pela primeira rodada da Série B. Para o confronto frente o Leão, sem jogos oficiais desde o dia cinco, a comissão técnica não conta com o volante Rodrigo Andrade, cujos direitos econômicos pertencem ao adversário e não pode entrar em campo por cláusula contratual.

Até o momento, Departamento de Futebol confirmou apenas a contratação do zagueiro Carlão, criado nas categorias de base do Corinthians e com passagem pelo Mirassol no Campeonato Paulista - o próximo nome será o centroavante Lucão.

Escrito por:

Lucas Rossafa/Correio Popular