Luan e a Liberdade

Espetáculo infantil ‘Existo!’ terá sessões no Castro Mendes

Enfrentando censura e preconceito, o premiado espetáculo infantil ‘Existo!’ propõe às crianças diálogos sobre a liberdade e a identidade de gênero, com arte e sem apologia

Cibele Vieira/ [email protected]
31/03/2024 às 09:46.
Atualizado em 31/03/2024 às 09:46
O espetáculo conta a trajetória de uma criança que, por medo do olhar alheio, passa a perceber a realidade com lente de aumento (Divulgação)

O espetáculo conta a trajetória de uma criança que, por medo do olhar alheio, passa a perceber a realidade com lente de aumento (Divulgação)

Uma reflexão lúdica sobre a liberdade e um convite ao diálogo, para validar o sentimento de pertencimento a si mesmo. Essa é a proposta do espetáculo infantil “Existo!”, que chega ao Teatro Municipal José de Castro Mendes na próxima sexta-feira, dia 5 de abril, com duas sessões gratuitas: às 14h e às 20h.

No elenco, estão o ator Alessandro Hernandez, que também assina a dramaturgia, e a atriz Ana Paula Lopez, sob a direção de Cris Lozano. A montagem ganhou o prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos Teatrais) de melhor espetáculo de 2019 pela abordagem de sua temática, a identidade de gênero. Com 45 minutos de duração e classificação indicativa livre, a peça tem entrada gratuita e espera receber como público principalmente os estudantes de escolas públicas locais.

O espetáculo conta a trajetória de uma criança que, por medo do olhar alheio, passa a perceber a realidade com lente de aumento. Na obra, Alessandro interpreta Luan, menino que mora em uma torre à espera do momento de poder sair e descobrir o mundo que conhece apenas pela janela – seu maior desejo é compartilhar momentos de diversão com meninos e meninas que vê em uma escola. Enquanto aguarda por esse momento – que chegará quando uma jabuticabeira estiver amadurecida, carregada de frutos –, Luan exerce sua liberdade nesse espaço fechado.

Os animais que conversam com o garoto – um pombo, um jacaré e uma lagartixa – durante seu período de isolamento também colaboram com o tom fabular da peça. Sua mãe, apesar de alimentar as ambições de Luan, se constrange com os questionamentos do garoto, que diante do mundo real e de seu imaginário, coloca em questão as normas que definem as diferenças entre ser menina e menino.

Tanto a mãe como os bichos são interpretados por Ana Paula Lopez, atriz da Cia. La Leche que participou do processo criativo e colaborou na preparação corporal do espetáculo.

O espetáculo é pautado pela ideia de quem se é e de quem se quer ser no mundo, percorrendo o caminho oposto ao ódio e à intolerância ao diferente. Para isso, coloca a criança frente a vários universos que possibilitam o diálogo, a descoberta de metáforas, as inter-relações que geram sensibilidade, autonomia e poesia.

CENSURA E PRECONCEITO

Apesar do tom lúdico e de diálogo da peça e ausência de apologias sobre o tema, a montagem vem sofrendo uma espécie de censura, com preconceitos que habitam o imaginário dos adultos, conta o ator e dramaturgo Alessandro Hernandez. “No dia 14 de março, estivemos na cidade de São Bernardo do Campo, onde deveríamos receber cerca de 800 alunos e professores em duas sessões no Teatro Lauro Gomes. Embora os ingressos estivessem reservados há mais de um mês por duas escolas estaduais, na véspera das apresentações o produtor recebeu uma mensagem por Whatsaap comunicando o cancelamento, sob a alegação de que alguns pais entenderam que a temática não era adequada para as crianças.

O que aconteceu nesse dia na cidade de São Bernardo do Campo foi uma censura executada por pais que desconhecem o teor do espetáculo, comenta Hernandez. Ele lembra que as apresentações fazem parte da Circulação do Edital ProAc do Estado de São Paulo, que contempla apresentações de espetáculos para crianças e jovens. E salienta que a cidade de São Bernardo do Campo foi escolhida para receber a montagem “porque ela está inserida no ‘Dossiê 2022 – Mortes e Violências LGBTI + no Brasil’. Segundo esse dossiê, em 2022 foram mortas 273 pessoas no País por fazerem parte da comunidade LGBTQIA+ e a cidade, entre outras cinco, fazem parte deste grupo de municípios onde essas pessoas são assassinadas.

No dia 27 de março, o mesmo espetáculo foi apresentado em Lençóis Paulista, em sessões para alunos de escolas públicas “e como fazemos após cada sessão deste projeto, tivemos uma conversa com a plateia de adolescentes e professoras e foi uma troca muito instigante”, conta Hernandez.

Após o espetáculo, entretanto, recebeu do diretor de uma das escolas, que não esteve na plateia, uma reclamação sobre o conteúdo. Ele finaliza que “diante disso, temos entendido o quanto essas abordagens são preconceituosas. Pais e diretores de escolas que não assistiram ao espetáculo proíbem crianças de assistirem simplesmente porque o espetáculo traz uma criança que questiona o lugar das coisas no mundo, ela questiona quem é e percebe que não precisa pedir licença para existir”.

Por isso, os produtores reforçam o convite “para todas as pessoas estarem presentes. A entrada é gratuita e o projeto é financiado com recurso público. O teatro, como a literatura, o cinema, as artes em geral não podem sofrer qualquer tipo de censura, mesmo aquelas que se mostram dissimuladas”.

PROGRAME-SE

Espetáculo de teatro infantil “Existo!”

Quando: Dia 5 de abril, sexta-feira, com duas sessões, às 14h e às 20h

Onde: Teatro Municipal José de Castro Mendes, na Rua Conselheiro Gomide, nº 62, Vila Industrial

Entrada Gratuita

Informações: Tel.: (19) 3272 9359 – https://teatrocastromendes.com.br/

Instagram @cialalechesp

Assuntos Relacionados
Compartilhar
Correio Popular© Copyright 2024Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por