Publicado 05 de Janeiro de 2022 - 9h35

Por Da Redação do Correio Popular

Obras que comporão a mostra

Beyond Van Gogh/RodrigoGaya.com/@Gayaman_photo

Obras que comporão a mostra "Beyond Van Gogh", que será inaugurada em março, em São Paulo

Quem gosta de visitar exposições de arte já pode começar a se planejar, pois diversas mostras vão movimentar o calendário cultural no Brasil ao longo do ano. São Paulo, como sempre, será a capital nacional da arte. O centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 irá pautar diversas atrações.

A Pinacoteca de São Paulo, por exemplo, vai apostar na identidade brasileira e terá exposições com obras de Adriana Varejão, em março, e Lenora de Barros, em outubro. Em parceria com a Terra Foundation for American Art, o museu apresentará a mostra Pelas Ruas: Vida Moderna e Diversidade na Arte dos Estados Unidos, em agosto, com 100 obras que articulam questões sociais, de classe e econômicas presentes na vida urbana nos Estados Unidos entre 1893 e 1976. Trabalhos de Geórgia 0'Keefe, Edward Hopper e Andy Warhol estarão expostas.

Trata-se de uma importante reflexão inspirada no processo de urbanidade e modernidade que tomou conta do Estados Unidos e será uma boa oportunidade para um contraponto às celebrações do centenário do marco da arte moderna no Brasil, acrescentando novas camadas e perspectivas para o debate. "O ano de 2022 marca o centenário da Semana de Arte Moderna, bem como o bicentenário da Independência brasileira. A Pinacoteca se propõe a abordar ambas as efemérides a partir de uma perspectiva crítica, organizando uma série de exposições que olham para esses eventos como partes de processos mais alargados e continentais", afirma Jochen Volz, diretor-geral da Pinacoteca de São Paulo.

O grande pintor impressionista

Uma das exposições mais aguardadas do ano é Beyond Van Gogh, que chega a São Paulo em março, ocupando um pavilhão especialmente construído no estacionamento do Morumbi Shopping.

Interativa, a mostra já passou pelos Estados Unidos, Canadá, Chile e Porto Rico e promete uma imersão nas obras do artista por meio de luzes, cores e formas projetadas no chão e nas paredes.

A tecnologia de projeção de ponta é o que permite criar uma viagem sensorial, apresentando mais de 300 obras-primas do pintor, todas livres de molduras. O visitante se encanta com imagens que ganham vida nas diversas superfícies.

Outros redutos

Na Avenida Paulista, vários endereços terão boas atrações. O Itaú Cultural, que começa o ano com uma exposição sobre Tunga, terá mostras sobre o artista Arthur Bispo do Rosário e a cantora Lia de Itamaracá. O Museu de Arte de São Paulo (MASP) exibirá Volpi Popular e Abdias Nascimento: um Artista Panamefricano.

O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) começa o ano com A Tensão, do argentino Leandro Erlich, e também com Brasilidade Pós-Modernismo, com obras de 51 artistas de diversas gerações.

Já o Museu da Imagem e do Som (MIS), que estendeu até o final de fevereiro a mostra sobre a cantora de rock Rita Lee, dará espaço para uma exibição imersiva para homenagear Cândido Portinari e também dará espaço para 100 Anos Modernos, de fevereiro a maio, em parceria com a Bienal do Mercosul.

O Museu Afro Brasil terá a mostra cultural Mário de Andrade - Eu sou 300, 350, em homenagem a um dos principais nomes da Semana de Arte de 1922, e o Museu da Casa Brasileira abrigará Modernismo Brasileiro, Design e Arquitetura - 1922 e Depois (?), sobre o pioneirismo modernista de designers que atuaram naquele período.

Escrito por:

Da Redação do Correio Popular