Publicado 27 de Outubro de 2021 - 10h06

Por Da Redação do Correio Popular

Sua obra 'A Realidade da Ilusão', uma pintura em tela com a técnica pastel seco, esteve na mostra Art Shopping, uma feira internacional

Divulgação

Sua obra 'A Realidade da Ilusão', uma pintura em tela com a técnica pastel seco, esteve na mostra Art Shopping, uma feira internacional

O artista campineiro Djalma Sforza Tojal, de 35 anos, teve o seu trabalho escolhido para uma exposição, que aconteceu no último fim de semana no Carrossel do Louvre, centro comercial que tem esse nome por estar próximo à Praça do Carrossel e ao Museu do Louvre, em Paris. Sua obra A Realidade da Ilusão, uma pintura em tela com a técnica pastel seco, esteve na mostra Art Shopping, uma feira internacional que tem o objetivo de aproximar artistas de todo o mundo aos consumidores finais, expondo artes a preços mais acessíveis.

O convite foi uma grande surpresa para ele, que cresceu no mundo das artes e desde pequeno foi adquirindo conhecimento com seu pai, o pintor José Aparecido Tojal, com sua madrasta, a artista plástica Marlene Godoi, e também teve a influência de seu irmão, o também pintor Danilo Sforza Tojal.

Trabalhando com tatuagens há exatos 10 anos e tendo a pintura em telas mais como um hobby ou até um meio de aperfeiçoar seu trabalho focado em realismo nas tatuagens que faz, Djalma conta que tudo aconteceu muito rápido. A aquarelista Jéssica Damasceno, com quem ele trabalhou em 2019 em um estúdio em Campinas, o indicou para a artista plástica Patrícia Evangelista, que foi professora dela desde a infância e procurava um nome que trabalhasse com arte realista para estar entre os 60 profissionais convidados para o evento. "A Patrícia entrou em contato comigo em setembro, falando da indicação que tinha recebido e me fez o convite para participar dessa exposição de três dias, voltada para galeristas, apreciadores de arte e consumidores finais, que já estava programada para antes da pandemia, mas só foi liberada para acontecer agora", explica.

Após conhecer o portfólio do campineiro, Patrícia, que hoje atua em Londres, deu carta branca a ele. "Ela me disse que eu poderia escolher entre uma obra que já tinha feito ou pintar uma nova, desde que mantivesse a minha identidade e explorasse o realismo em um retrato. A minha escolha criar uma pintura surrealista", revela.

Antigo com toque moderno

Foram 18 horas de dedicação à pintura na tela para que A Realidade da Ilusão fosse concluída. Mas, antes disso, a ideia de retratar uma mulher saiu da cabeça de Djalma direto para uma arte digital. Só então que a representação foi para a tela. "Eu não quis colocar sentimento na obra. Optei por uma imagem que parecesse algo antigo, mas com uma pegada moderna com efeito que remete ao movimento. Meu objetivo foi intrigar as pessoas", esclarece.

Para conciliar a sua agenda de tatuador, que estava cheia, com a pintura da obra que seria enviada para Paris, Djalma teve dias bem intensos de trabalho. "Eu tatuava de dia e pintava à noite", diz. A conclusão se deu com êxito.

O especialista em reproduzir retratos, inclusive nas tatuagens que faz, infelizmente não pode viajar para a capital francesa para acompanhar de perto a exposição, pois a vacina contra a Covid-19 que ele tomou não é aceita por lá. "Conversei até com o cônsul da França no Brasil, mas não teve jeito", lamenta.

No entanto, mesmo à distância, ele ficou entre a última sexta-feira e domingo em contato com a amiga Jéssica e também com Patrícia para saber de tudo o que estava acontecendo por lá. E ainda contratou um fotógrafo de lá, que fez a cobertura do evento para ele e o abasteceu de fotos.

Os desdobramentos já estão acontecendo. Ele revela que já recebeu mensagens e convites para expor em um museu da capital paulista e que Patrícia já o avisou que está organizando nova exposição em Dubai, na qual ele também deverá participar.

Novos projetos e horizontes

Até então, o convite mais especial que Djalma tinha recebido veio em 2018, para tatuar em um estúdio reconhecido mundialmente, em Amsterdã. Da capital da Holanda, ele esticou até Paris para realizar o sonho de conhecer o Louvre. Depois disso, já foi mais três vezes para o exterior atendendo a convites para fazer tatuagens em studios renomados, onde ele fez questão de deixar também uma pintura em tela.

A experiência de ter um trabalho seu no complexo turístico de uma cidade como Paris não tira o artista campineiro de seu foco, mas mostra que ele deve investir mais em pintura em tela. Enquanto segue fazendo sucesso com suas tatuagens realistas, principalmente de figuras humanas, animais, estátuas e caveiras, em seu estúdio no bairro Nova Campinas, não abre mão da condição de aluno de Paulo Frade, quem ele considera um dos maiores nomes da pintura realista da atualidade.

Se é no realismo que o artista de Campinas, que também tem formação em Marketing, se encontrou e atua desde 2012, ele sabe que é neste caminho que deve seguir para expor seu trabalho em outros museus e galerias de diferentes países. "Daqui pra frente, vou me empenhar muito na pintura."

Tags: Paris

Escrito por:

Da Redação do Correio Popular