Publicado 10 de Setembro de 2021 - 8h59

Por Karina Fusco

Thadeu Romano Trio apresenta o concerto Dos Primórdios ao Nuevo Tango

Divulgação

Thadeu Romano Trio apresenta o concerto Dos Primórdios ao Nuevo Tango

Após um ano e meio sem shows presenciais, a Rabeca Cultural, no distrito de Sousas, abre as portas neste domingo, 12, às 19h, para dar vez ao tango. O concerto Dos Primórdios ao Nuevo Tango com Thadeu Romano Trio, será uma grande homenagem ao famoso compositor Astor Piazzolla, cuja data de nascimento completou 100 anos em março passado.

Além de diversão, a noite promete ser repleta de conhecimento. O compositor e arranjador Thadeu Romano revela que o objetivo da apresentação instrumental será contar a história da música portenha com detalhes pouco conhecidos do público brasileiro. “Assim como os nossos samba e choro tiveram diferentes eras, como a de Pixinguinha e a de Jacob do Bandolim até chegar ao que temos hoje, o tango também foi evoluindo. Teve a era d'Arienzo, que foi a primeira orquestra, e vai vindo com Pitchuco, Osvaldo Pugliese, Horacio Salgán, Carlos Gardel até alcançar Piazzolla. Eu conto um pouco dessa história no espetáculo”, explica.

A proposta do show, que deverá ter a duração de 1h15, é criar uma conexão com o público e esclarecer o significado das canções escolhidas para estar no repertório. Com Thadeu no bandoneon, Wanessa Dourado no violino e Bruno Monteiro no piano, clássicos do gênero - tanto os conhecidos pelos brasileiros, como alguns "achados" do repertório - vão ilustrar a evolução dessa música. Thadeu se encarrega também dos comentários e, assim, faz uma bem-vinda aproximação com o público, formato de apresentação que ele aprecia muito. “Será um show com interação”, garante.

Um mergulho no tango

Ao trocar poucas palavras com Thadeu Romano, já é possível identificar sua paixão pelo tango. Ele, que esteve em Buenos Aires várias vezes para estudar e se diz muito feliz por ter feito aulas com grandes bandeonistas, como Rodolfo Mederos, que foi parceiro do Piazzola, assume que as estadias no país vizinho o fizeram gostar ainda mais dessa música. Além disso, lhe trouxeram muito conhecimento.

Ele acredita que está indo à raiz do tango. “É muito legal conhecer de perto o valor que é dado ao instrumento, as formas que ele já foi tocado e até um pouco mais da história. Ao contrário do que muitos pensam, o bandoneon, por exemplo, não é um instrumento argentino, mas, sim, alemão. E ele é tocado de formas diferentes aqui e na Europa”, cita.

Ele esclarece que a respiração do instrumento faz toda a diferença no tango. “O bandoneon respira junto com a orquestra, tanto que foi o último instrumento a entrar na orquestra típica e o que mais se consolidou. Não se fala de tango sem ter bandoneon”.

‘Definição do repertório'

Todas essas vivências de Thadeu contribuíram para a definição do repertório da apresentação Dos Primórdios ao Nuevo Tango. Entre as músicas escolhidas estão algumas que representam, de fato, grandes mudanças, como a valsa chamada Desde el alma, que é considerada importantíssima. “Do mesmo jeito que o choro é a junção da música europeia com a parte percussiva africana, o tango e a milonga também são isso. Em relação à música portenha, esse “start” se dá com essa valsa, que não é vienense. Foi a visão de uma menina de 16 anos que fez essa composição e isso mexeu com o brio dos compositores da época.

Ela criou uma nova música. É o tipo de informação que o público brasileiro não tem, da mesma forma que o argentino não sabe o que o Pixinguinha representa”, afirma.

Por parte dos músicos do trio, a expectativa para o show, que será no Teatro Externo Chiquinha Gonzaga na Rabeca Cultural é alta, afinal, "apresentar música boa é algo que enche o coração". O público que for conferir de perto essa primeira vez que Thadeu, que é de Joaquim Egídio, vem para sua cidade natal com a formação de um trio, certamente sairá de lá satisfeito por ter feito esse mergulho na música portenha.

ANOTE

Dos Primórdios ao Nuevo Tango

Quando: domingo, 12 de setembro, às 19h

Onde: Rabeca Cultural, Av. Dona Maria Franco Salgado 250, Sousas, Campinas

Capacidade: 50 pessoas, obrigatório o uso de máscaras

Ingressos: R$ 40 no dia R$ 30, até sábado (11 de setembro)

Informações e ingressos antecipados pelo WhatsApp: (19) 99720-6186

Escrito por:

Karina Fusco