Publicado 18 de Agosto de 2021 - 11h18

Por Adriana Giachini/Caderno C

‘Jornada cabética’ marca dois anos da morte de Cabeto Rocker e leva músicos, amigos e fãs de volta às noites fervidas em points icônicos da cidade, como os bares Ilustrada, Delta e Desmanxe

Dominique Torquato

‘Jornada cabética’ marca dois anos da morte de Cabeto Rocker e leva músicos, amigos e fãs de volta às noites fervidas em points icônicos da cidade, como os bares Ilustrada, Delta e Desmanxe

O programa Templo do Rock, comandado pela advogada e líder da banda The Chatotorix, Andreza Dóro, tem hoje, às 18h, edição especial para lembrar os dois anos da morte do músico e produtor cultural Cabeto Pascolato, ou, como era conhecido na cidade, Cabeto Rocker.

Entre os principais nomes da história do rock de Campinas – especialmente como vocalista do Bando (que chegou a ter clipe na MTV, além de destacar-se nacionalmente no circuito independente) –, a carreira e obra de Cabeto, que morreu em 18 de agosto de 2019, são tema do especial Todo Mundo Toca Cabeto Rocker, com participação de diversos músicos de Campinas.

O programa também encerra uma série de homenagens dedicadas a Cabeto e iniciada em junho, quando ele completaria, no dia 9, 60 anos. “Por conta do aniversário, pensei em realizar a Primeira Semana Cabetiana. Comecei a pesquisar material e descobri uma sinergia grande de outros músicos e parentes também programando a data”, conta Andreza.

“Entrei em contato com a Maria Castellano (esposa de Cabeto) e ela me contou que tinha sonhado com ele, tocando com o David Bowie. Na sequência soube que o Rodrigo (Martins, músico e amigo pessoal de Cabeto) estava gravando um single póstumo e também vi que o Joni Leite (baixista do Bando) preparava uma homenagem. Naturalmente, acabamos nos unindo”, recorda.

Juntos, eles realizaram uma live, em junho, com a participação de outros músicos e fãs das composições de Cabeto, que também reuniu depoimentos de familiares e amigos. “O que a gente não imaginava era o tamanho da repercussão da primeira Semana Cabetiana. Comecei a receber muito material.

Apresentações em vídeos, gravações, poesias que ele escreveu... tem shows do Bando no Delta, no Ilustrada e no Desmanxe, que resgatam a história da cena cultural de Campinas, especialmente a roqueira.”

Desta forma, conta Andreza, a homenagem acabou se estendendo na “jornada cabética” que se encerra hoje – que inclui a criação do canal no YouTube, batizado Templo do Rock, somente para compartilhar o material.

“Durante nove semanas, o programa Templo do Rock, resgatou a trajetória do Cabeto, recordando passagens mais conhecidas e outras que as pessoas resolveram compartilhar. E não só sobre sua música, mas também as causas que ele defendia ligadas ao veganismo, ao movimento ambientalista e, claro, à produção cultural, incluindo o teatro”.

Escrito por:

Adriana Giachini/Caderno C