Publicado 04 de Agosto de 2021 - 15h19

Por Cid Luís de Oliveira Pinto/Alfa Press


Lilo Clareto/Divulgação

"Criança no rio", foto em preto e branco de Lilo Clareto: sugestão de presente para o Dia dos Pais

A família do fotógrafo Lilo Clareto colocou à venda parte do acervo do consagrado profissional, que nos últimos anos defendeu a floresta Amazônica e seus povos com suas lentes e olhar crítico.

Vitimado pela covid-19 em março deste ano, o fotógrafo faleceu após 30 dias de internação em hospital particular, deixando esposa e filha de dois anos de idade e uma grande dívida de despesas hospitalares, pagas em parte por uma vaquinha entre amigos e familiares e uma campanha de crowdfunding. Para quitar o restante da dívida, e oferecer algum suporte à família, foi disponibilizada parte do acervo do fotógrafo para a venda por meio de uma lojinha virtual.

Lilo Clareto é um profissional extremamente respeitado no meio jornalístico, tendo, em seus mais de 40 anos de profissão, passado pelos veículos O Estado de São Paulo e Revista Época, pelos quais recebeu premiações, entre as quais, a estatueta Líbero Badaró, a mais importante do jornalismo brasileiro.

As imagens feitas por Lilo

Solidário aos ribeirinhos, que tiveram que abandonar seus lares para a construção de uma usina hidrelétrica, e aos povos indígenas, que seguem tendo suas terras invadidas por garimpeiros e posseiros, com rara sensibilidade, Lilo registrou de maneira poética e singular essas violências, retratadas nas fotos de sua galeria virtual (www.liloclareto.com.br).

Paliteiros, tríptico que mostra o resultado do represamento do Rio Xingu para criar a bacia de água que faz funcionar as turbinas da hidrelétrica, é um registro que traz, com muita delicadeza, a potência desta cena de destruição. A incrível imagem das árvores submersas apodrecendo nas águas é, ao mesmo tempo, triste e artisticamente bonita.

O Tríptico Bruma, que lembra uma pintura impressionista, retrata a beleza fluvial amazônica em três momentos diferentes do amanhecer e entardecer, com lindas nuances de cor captadas pelas atentas lentes do fotógrafo.

A Vila dos Ribeirinhos é o retrato da violência sofrida pelos ribeirinhos, obrigados a deixarem suas casas às margens do Rio Xingu, sendo empurrados para vilas populares nas periferias da cidade, corrompendo toda a sua história e modo de vida.

Criança no Rio e Passarinho são as duas fotos mais emblemáticas desta coletânea – e não por acaso as mais pedidas pelos admiradores do trabalho do fotógrafo. Elas reproduzem a felicidade das crianças ribeirinhas, brincando no rio, o seu parque de diversão. Na vida na cidade, elas trocaram o rio pela televisão e a alegria e o vigor pela passividade e sujeição.

São cenas que Lilo Clareto captou com muita verdade e muito amor.

Mês dos pais

Para o mês dos pais, foi criada ainda uma campanha que oferece durante todo mês de agosto três opções de presente:

Kit Sagrado Xingu: com o livro "Brasil: Construtor de Ruínas", de Eliane Brum + 1 foto 30x30 (o cliente escolhe entre duas imagens impressionantes do rio Xingu);

Kit Arte no Asfalto: com o livro "O palhaço e o Psicanalista" de Christian Dunker + 1 foto 30x30 Arte no Asfalto (também aqui, há duas opções de fotos artísticas de uma série de registros de imagens impregnadas nas ruas de São Paulo).

Vale-presente: o cliente dá ao presenteado a oportunidade de escolher entre o leque de lindas fotos ou camisetas oferecidas no site.

A loja pode ser acessada pelo www.liloclareto.com.br

 

 

 

 

Escrito por:

Cid Luís de Oliveira Pinto/Alfa Press