Publicado 17 de Julho de 2021 - 12h40

Por Do Caderno C / Correio Popular


Divulgação

"A Pinacoteca conta com uma grande experiência em convidar artistas a desenvolver obras especificamente para os espaços do museu", diz Jochen Volz, diretor geral da Pinacoteca de São Paulo.

A Pinacoteca de São Paulo traz uma novidade: o programa Atos Modernos. Com duração de um ano, o programa comissionará trabalhos inéditos, onde cada artista terá espaço na programação pública da Pinacoteca para realização de projetos presenciais ou transmitidos nas plataformas digitais da Pinacoteca.

Criado pela Curadora de Pesquisa e Ação Transdisciplinar Coleção Ivani e Jorge Yunes, Horrana de Kássia Santoz, o programa traz discussões sobre os vestígios da modernidade na produção artística contemporânea e reunirá cinco artistas e pesquisadores de diferentes geografias e linguagens com a missão de compartilhar seus portfólios e processos criativos. São eles: Castiel Vitorino Brasileiro, Mitsy Queiroz, Luciara dos Santos Ribeiro, Olinda Tupinambá e Charlene Bicalho.

Com duração de um ano, a partir deste mês, o programa pretende, ao final do processo, apresentar uma exposição de fotos, ensaios, pequenos artigos sobre o trabalho. "Enquanto parte da função social dos museus é estimular a criatividade e propagar o conhecimento de todas os saberes e para todos os públicos, um programa de comissionamento torna-se de suma importância para que estes recursos sejam acessados por pessoas e grupos racializados, corpes dissidentes que ainda hoje seguem apartados da história oficial do Brasil" diz Horrana de Kássia Santoz.

"A Pinacoteca conta com uma grande experiência em convidar artistas a desenvolver obras especificamente para os espaços do museu. Nesta parceria única com a Coleção Ivani e Jorge Yunes, ampliamos esta prática de comissionamento para novos campos da produção e pesquisa artística contemporânea", diz Jochen Volz, diretor geral da Pinacoteca de São Paulo.

Escrito por:

Do Caderno C / Correio Popular