Publicado 17 de Julho de 2021 - 12h31

Por Do Caderno C / Correio Popular

Ian Uviedo, performer: debate entre cultura contemporânea e novo modernismo

Divulgação

Ian Uviedo, performer: debate entre cultura contemporânea e novo modernismo

Um dos eventos mais expressivos e significativos da história da arte no Brasil, a Semana de Arte Moderna de 1922, está prestes a completar cem anos. E para marcar o centenário a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo acaba de lançar o projeto Modernismo Hoje, que prevê mais de cem ações em comemoração à data com previsão de serem realizadas nos próximos 18 meses.

O pontapé inicial é dado neste sábado (17), com a exibição on-line do primeiro espetáculo da série Outras Vanguardas. Produzida pela Organização Social Amigos da Arte, a série de 10 episódios apresentará, semanalmente, performances e depoimentos de representantes de diferentes gerações que seguem comprometidos com os propósitos da Semana, seus desdobramentos e a expressão contemporânea do pensamento modernista.

A estreia apresenta ao público o show do irreverente Arrigo Barnabé. O compositor, ator, pianista, ícone da vanguarda paulista, foi escolhido por, de acordo com organizadores do evento “desde os anos 70 combinar elementos da música erudita e popular, misturando letras de narrativa urbana, declamadas com a corrosiva prosódia das grandes cidades.”

O artista gravou, acompanhado de seu piano, uma leitura musical do livro Primeiro caderno do aluno de poesia Oswald de Andrade. A abertura ficou a cargo do escritor e performer Ian Uviedo. “O objetivo é debater a cultura contemporânea e o novo modernismo do século 21, destacando o papel dos nossos artistas e integrando-os aos espaços do Governo Estadual", diz Sérgio Sá Leitão, secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

A série Outras Vanguardas está sendo gravada no Teatro Sérgio Cardoso e terá transmissão gratuita às sextas-feiras, sempre às 20h, pela plataforma #CulturaEmCasa. Toda programação faz parte também do lançamento do aplicativo #CulturaEmCasa.

Além de Barnabé, foram convidados para esta primeira temporada Isca de Polícia (grupo de Itamar Assumpção), Premê, Cida Moreira, Língua de Trapo, Tetê Espíndola, Pascoal, Passoca, Tulipa Ruiz e a banda Metá Metá. Também ficará disponível ao público um documentário reunindo todos os convidados desta primeira edição.

A Semana de Arte Moderna, também chamada de Semana de 22, ocorreu em São Paulo, entre os dias 11 e 18 de fevereiro de 1922, no Teatro Municipal da cidade e marcou o início da consolidação do modernismo no Brasil, sendo apontada como uma ruptura do que vinha sendo produzido, artisticamente, até então.

Participaram da Semana nomes consagrados do modernismo brasileiro, como Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Guilherme de Almeida, Heitor Villa-Lobos e Di Cavalcanti entre outros.

#CulturaEmCasa

Lançada em 21 de abril de 2020, pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerida pela Amigos da Arte, a plataforma #Culturaemcasa visa ampliar o acesso da população a conteúdos culturais gratuitos, produzidos no Estado de São Paulo. A ferramenta reúne também conteúdos dos Teatro Sérgio Cardoso, de Araras, do Museu da Diversidade Sexual e das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, a São Paulo Companhia de Dança, o Conservatório de Tatuí, o Projeto Guri, Fábricas de Cultura, TV Cultura e os Museus da Imagem e do Som, do Futebol, Índia Vanuíre, Casa de Portinari Felícia Leirner/ Auditório Claudio Santoro.

Já na última terça-feira, o governador João Dória anunciou investimento de R$ 10,6 milhões em 2021 para o programa #JuntosPelaCultura. Na ocasião, foram anunciados 853 projetos selecionados e 9,6 mil artistas beneficiados, sendo que nove cidades da região de Campinas estão entre as escolhidas. Todas as ações poderão ser acessadas na plataforma do #CulturaEmCasa.

Escrito por:

Do Caderno C / Correio Popular