Publicado 21 de Maio de 2021 - 15h38

Por Cibele Vieira/Correio Popular

Covid 19, de Matheus Hofstatter, uma das obras da exposição

Ilustração: Vaccine

Covid 19, de Matheus Hofstatter, uma das obras da exposição

Como será quando essa pandemia passar? Nada será como antes, concordamos! Mas como os outros enxergam esse tema? A inquietação partiu do Instituto Pavão Cultural que chamou artistas para mostrar suas visões pessoais e o resultado será mostrado a partir deste sábado (22) em uma mostra presencial com 19 manifestações culturais entre fotos, esculturas, vídeos, instalações e oficinas. Aberta gratuitamente ao público até 24 de julho, a exposição terá visitação de quarta a sábado, das 14h às 20h, preferencialmente com pré-agendamento.

A noção da passagem do tempo, o contato com a natureza, o olhar visionário para o futuro e as angústias pessoais foram retratadas nos trabalhos que compõem a mostra, vindos de Campinas e outras cidades. Tereza Mas (gestora do espaço cultural) e Mário Braga (curador) contam que em dezembro de 2020, após tantos meses de pandemia, estavam certos que nada mais seria como antes. Nem as pessoas, nem os espaços, nem os trabalhos, nem os encontros. Por isso resolveram promover a circulação das ideias e questionamentos de artistas nesse novo tempo.

O tema proposto - Nada Será Como Antes - foi emprestado do título da canção de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, criada no período da ditadura militar, "que remete um pouco ao que sentimos no momento". E comentam que por mais diversos e únicos, os trabalhos apresentados não encerram a questão. Pelo contrário, abrem-se para novas perguntas.

Os diferentes olhares sobre o mesmo tema tornam a mostra bastante interessante e a montagem está sendo gravada em vídeos que, posteriormente, farão parte do documentário que acompanhará a exposição virtual, com depoimentos e lives dos participantes. As oficinas de bordado e de papel artesanal que integram a mostra foram transferidas para junho, em data a ser confirmada, na esperança que talvez possam ser realizadas presencialmente.

Como o espaço do Instituto Pavão Cultural é amplo, a mostra poderá receber grupos com até 20 pessoas ao mesmo tempo, explica Tereza. A lotação do espaço é de aproximadamente 100 pessoas e a limitação imposta pela fase atual de protocolo sanitário é de 25% da capacidade. Por isso, a solicitação de pré-agendamento é apenas um cuidado a mais. O uso de máscaras será obrigatório durante a permanência no interior do espaço.

O Instituto Pavão Cultural é uma organização sem fins lucrativos, criado em março de 2019. O espaço é dedicado a exposições e projetos culturais voltados para artes visuais, artes cênicas, arquitetura, música e atividades educativas. Fica na Rua Maria Tereza Dias da Silva, 708, Cidade Universitária, distrito de Barão Geraldo. O pré-agendamento pode ser feito pelo WhatsApp (19) 99633 4104.

Escrito por:

Cibele Vieira/Correio Popular