Publicado 13 de Janeiro de 2022 - 8h26

Por Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular

o professor Newton Cesário Frateschi ocupará o cargo de secretário-adjunto da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico

Divulgação

o professor Newton Cesário Frateschi ocupará o cargo de secretário-adjunto da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico

O prefeito Dário Saadi nomeou nesta quarta-feira (12) o professor Newton Cesário Frateschi para o cargo de secretário-adjunto da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. Frateschi terá a incumbência de cuidar e alimentar a área de tecnologia e inovação da Prefeitura. Graduado pela Unicamp, com mestrado e doutorado pela University of Southern California, o novo assessor foi diretor do icônico Instituto de Física Gleb Wataghin e da Agência de Inovação da Unicamp. Dário quer agitar o segmento.

CHOQUE TECNOLÓGICO 2

Dário Saadi sustenta dupla intenção ao nomear Newton Cesário Frateschi para uma das áreas mais sensíveis na atualidade para o êxito de seu governo ante o perfil tecnológico de Campinas, que se acentua e se fortalece com novos investimentos no setor. Quer agilizar o mecanismo da Prefeitura no quesito inovação, ao mesmo tempo em que busca suprir a ineficiência da IMA na geração de tecnologias. Dário corre em busca de qualidade e de resultados.

FRASE

"A Anvisa não tem opinião; ela decide e oferece resultados”.

Barra Torres, diretor-presidente da Anvisa

ALIANÇA AMEAÇADA

A direção nacional do Partido dos Trabalhadores anda perdendo o sono por conta de suposta petição de alas petistas contrárias à aliança com o ex-governador Geraldo Alckmin, com vistas à composição da chapa presidencial do candidato Luiz Inácio Lula da Silva.

ALIANÇA AMEAÇADA 2

Há entendimentos internos ao PT sobre a necessidade de uma composição mais ampla e sólida do que uma aliança isolada e particular, que possa assegurar a Lula a sonhada vitória no primeiro turno.

ALIANÇA AMEAÇADA 3

Somada às desconfianças do lado do pessoal de Alckmin, a petição petista constitui real ameaça à decantada chapa Lula-Alckmin, e pode, até mesmo, evitar a formação da aliança.

DEFESA DA ANVISA

O diretor-presidente da Anvisa, almirante Antônio Barra Torres, estendeu ontem um pouco mais suas explanações sobre as funções e obrigações da Anvisa, como extensão do enfrentamento que teve com os ataques do presidente Jair Bolsonaro.

DEFESA DA ANVISA 2

O diretor concedeu muitas entrevistas e pontuou que o conflito com Bolsonaro só fez ampliar as ameaças aos servidores da Anvisa, levando impacto negativo sobre a coletividade de cientistas e profissionais técnicos da agência. “Minha resposta ao presidente não foi posição pessoal, ela reflete a opinião coletiva de quem trabalha na Anvisa”, disse Barra Torres.

GREVE DE AUDITORES

Quase 1.300 auditores da Receita Federal já entregaram seus cargos de chefia, em uma das maiores greves do segmento, por conta do reajuste salarial dado por Bolsonaro exclusivamente aos policiais.

HOME OFFICE

O governador João Doria se viu forçado a suspender momentaneamente as movimentações pelo interior de São Paulo, em busca de votos, na campanha para presidente.

HOME OFICCE 2

O aumento de casos de covid e a contaminação pela variante ômicron levaram Doria a se concentrar no Palácio dos Bandeirantes. Medidas restritivas mais severas poderão ser adotadas nos próximos dias.

DE OLHO NO FUNDÃO

Mal esquentou a cadeira de ministro do STF, André Mendonça enviou ofício a Bolsonaro e ao Congresso, pedindo informações sobre o polpudo Fundo Eleitoral, de $ 5,7 bilhões, aprovado pelos parlamentares no apagar de 2021. Ainda há esperança de redução na gastança com dinheiro público.

- De Bolsonaro para os ministros do STF, sem afeto: “Quem pensam que são?”.

[/TEXTO]

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular