Publicado 22 de Dezembro de 2021 - 8h38

Por Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular

O vídeo

Ricardo Stuckert

O vídeo "ressuscitado" pelo filho do chefe do Executivo também foi posteriormente publicado pelo ministro do Turismo, Gilson Machado (PSC), pré-candidato ao governo de Pernambuco com as bênçãos de Bolsonaro

A provável aliança entre Luiz Inácio Lula da Silva e Geraldo Alckmin para a disputa presidencial de 2022 já começa com defecções consideradas importantes. Gilberto Kassab disse ontem que o seu PSD já tem candidato ao Planalto, e que não fará alianças ou acordos contemplando o primeiro turno das eleições. O lado crítico dessa declaração reside no fato de que o ex-governador paulista estava pronto para se filiar ao PSD, após deixar o ninho tucano, como canal para se colocar na vice-presidência da chapa de Lula. Com a postura exposta de não participar de acordos de primeiro turno, Kassab comprime Alckmin e o direciona aos braços do PSB, ou de outra sigla.

DESCENDO DO BONDE 2

Gilberto Kassab é uma das lideranças que compareceram ao jantar que reuniu Lula e Alckmin no domingo à noite, sem a companhia de pré-candidato do próprio partido. E sem ser flagrado em fotos ao lado de ambos. Ele explicou: "Eu entendi que poderia passar para a sociedade a percepção de que estava formada uma frente de apoio ao Lula no primeiro turno de 2022. Mas eu não estarei com o Lula no primeiro turno, isso já foi dito a ele. Teremos candidato próprio".

FRASE

“Até os meus amigos que estavam no governo o Jair Bolsonaro tirou. O jogo está perdido”.

Olavo de Carvalho, filósofo guru do bolsonarismo

INCENTIVOS FISCAIS

O prefeito Dário Saadi sancionou ontem a Lei de Incentivos Fiscais, com a qual pretende atrair novos investimentos para Campinas e gerar cerca de cinco mil vagas de emprego, fomentando renda. Com a nova legislação, as empresas que se enquadrarem em seus dispositivos terão direito à isenção de IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano), do ITBI e do ISSQN da construção civil, além da redução do ISSQN de 5% para 2%.

INCENTIVOS FISCAIS 2

A lei sancionada ontem é ação que integra o Paes (Programa de Ativação Econômica e Social), colocado em funcionamento pela Prefeitura desde agosto deste ano, e que prevê, no plano geral, contar com R$ 4 bilhões em investimentos e a geração de mais de 20 mil empregos nos próximos anos.

INCENTIVOS FISCAIS 3

“Campinas, por muito tempo, não foi atrativa para investimentos. A cidade tinha uma boa lei de incentivos fiscais, mas que exigia um patamar de investimentos muito alto para ter direito ao benefício”, disse o prefeito. “Nosso objetivo, com o conjunto de ações que constam na nova lei, é gerar cinco mil empregos”.

FUNDÃO EM VIGOR

O presidente Jair Bolsonaro promulgou a lei 14.194 que destina R$ 5,7 bilhões do orçamento da União - leia-se recursos públicos - para o custeio do Fundo Eleitoral-2022. O texto foi publicado na edição de ontem do Diário Oficial da União. A promulgação é resultado da derrubada do veto presidencial pelo Congresso, na última sexta-feira, o qual propunha um Fundão de 2,1 bilhões. Deputados e senadores disseram não ao veto.

FUNDÃO EM VIGOR 2

Contudo, o valor definitivo do Fundo Eleitoral que financiará as campanhas em 2022 ainda será afinado na Lei Orçamentária Anual (PLN 19/2021), que se encontra em discussão na Comissão Mista de Orçamento (CMO) e ainda precisa passar por decisão do Congresso Nacional. Em relatório apresentado à CMO, nesta segunda-feira, o valor previsto para o Fundão é de R$ 5,1 bilhões, o que não alivia muito o uso do dinheiro público nas eleições.

DIVÓRCIO

O filósofo e escritor terraplanista Olavo de Carvalho resolveu manifestar seu descontentamento e expor publicamente seu divórcio do presidente Jair Bolsonaro. Em transmissão online do canal Conserva Talk, Olavo disse que se sentiu usado por Bolsonaro e que o presidente o fez de "poster boy" para se eleger.

DIVÓRCIO 2

Olavo reclamou das demissões de discípulos seus, promovidas por Bolsonaro: "Depois de me usar, até meus amigos que estavam no governo ele tirou". Referia-se aos ex-ministros Ricardo Salles, Abraham Weintraub e Ernesto Araújo, que com ele estavam na transmissão.

DIVÓRCIO 3

Em análise sobre a campanha de 2022, Olavo de Carvalho revelou descrença quanto à reeleição de Bolsonaro, e vaticinou "a briga já está perdida". Segundo o guru, "O Brasil vai se dar muito mal, não venham com esperanças tolas", afirmou.

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular