Publicado 21 de Dezembro de 2021 - 8h31

Por Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular

O vídeo

Ricardo Stuckert

O vídeo "ressuscitado" pelo filho do chefe do Executivo também foi posteriormente publicado pelo ministro do Turismo, Gilson Machado (PSC), pré-candidato ao governo de Pernambuco com as bênçãos de Bolsonaro

A primeira exposição pública de Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-governador Geraldo Alckmin juntos ocorreu na noite deste domingo, em concorrido jantar no restautante A Figueira Rubayat, na capital. Um encontro ecumênico como raros, e que valeu como prato de entrada para a discussão em torno de eventual aliança entre ambos para a corrida eleitoral de 2022. Diversos partidos políticos presentes, do PT à Rede, do PSB ao PSD, incluindo líderes do PSDB, MDB e outros. Há, porém, obstáculos a superar.

JANTAR A LUZ DE VELAS

O prato principal do jantar foi, efetivamente, provável formação de chapa tendo Lula como candidato a presidente e Alckmin como vice. Sob as toalhas, porém, a discussão sobre o que fazer no âmbito estadual, já que PT e PSB - provável novo partido de Alckmin - seriam concorrentes, ante a disposição de Fernando Haddad e de Márcio França de disputarem votos para os Bandeirantes. Um deles teria de abrir mão, e essa discussão ainda não se deu. Ambos estão irredutíveis.

FRASE

"Quero um vice que me ajude, porque não é fácil estar na Presidência, muitas vezes, sozinho”.

Jair Bolsonaro, presidente da República

JANTAR ECUMÊNICO

O jantar Lula/Alckmin teve a adesão de figuras nacionais, como a dos senadores Omar Aziz (PSD), que presidiu a CPI da Covid, e Randolfe Rodrigues (Rede), do ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia e de Gilberto Kassab, do PSD.

JANTAR ECUMÊNICO 2

Presentes ainda líderes do MDB, do Solidariedade, PSD e PCdoB. Mas não de seus pré-candidatos ao Planalto. O que indica que o jantar teve ingredientes adicionais.

FEDERAÇÃO EM PAUTA

Boa parte dos envolvidos nas conversações com Lula e Alckmin defende a formação de uma federação de partidos - elemento recém-aprovado no código eleitoral. Lula e Alckmin se abrigariam sob um guarda-chuva de múltiplos partidos. Por enquanto, é só conversa.

O CARDÁPIO DA NOITE

No jantar Lula/Alckmin, promovido pelo grupo Prerrogativas, formado por advogados da capital, os convivas optaram entre a picanha com batatas souté e espaguete mediterrâneo, Como sobremesa, tortas nemesis com sorvete de gengibre, ou frutas da estação, além do café com seleção de petit four. Chic.

LEVANTANDO A BOLA

Sergio Moro e João Doria estabeleceram pacto de não-agressão ao longo da campanha eleitoral. Em debates, deverão levantar a bola um para o arremate do outro. Críticas e paredão somente para os adversários.

INCENTIVO FISCAL

O prefeito Dário Saadi comanda às 15 horas de hoje cerimônia na qual será sancionada a Lei de Incentivos Fiscais. O programa irá conceder benefícios fiscais a indústrias, centros de distribuição, unidades de logística e de serviços, call centers e empresas de informática das áreas de tecnologoa da informação e comunicação.

PERFIL DO VICE

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, recebeu nova canelada de Jair Bolsonaro no final de semana. No Guarujá, o presidente insinuou que Mourão o deixa sozinho, e disse buscar um vice para 2022 que o ajude, caso eleito.

O NOVO CENTRO

Prefeitura, Câmara Municipal e Secovi se juntam para a busca pela agilização do projeto de revitalização do Centro de Campinas. O ano deve iniciar com propostas e projetos definidos. As obras devem começar a partir de março.

JÚLIO MEDAGLIA

O presidente da Academia Campinense de Letras, Jorge Alves de LIma, está enviando mensagens aos meios culturais pedindo apoio ao projeto de colocação do maestro Júlio Medaglia como regente da Orquestra Sinfônica de Campinas.

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular