Publicado 18 de Dezembro de 2021 - 10h48

Por Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular

A cúpula do Congresso, porém,

Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

A cúpula do Congresso, porém, "cortou" esse dispositivo no meio e decidiu promulgar o extrateto de R$ 15 bilhões, contrariando senadores críticos à PEC

Era previsível, estava escrito nas estrelas, e não deu outra: por 317 votos contra 146, a Câmara dos Deputados derrubou nesta sexta-feira (17) o veto do presidente Jair Bolsonaro ao aumento nos valores do Fundo Eleitoral, o “Fundão”, destinado a financiar as campanhas políticas em 2022 com dinheiro público. No Senado, o resultado foi de 53 a 21. Com a derrubada, os parlamentares mantiveram o repasse em R$ 5,7 bilhões inicialmente aprovado pelo Congresso, quando da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), contrariando os R$ 2,1 bilhões propostos por Bolsonaro. É o Trem da Alegria e a Farra do Boi juntos.

A FARRA DO TREM E DO BOI 2

A possibilidade da derrubada do veto ao Fundão foi comentada em primeira mão por Xeque-Mate, no mês de junho, durante votação da LDO. A queda do veto ocorreu durante a sessão do Congresso Nacional, nesta sexta, tendo, votação na Câmara seguida do Senado, em sessão iniciada no final da tarde. O único destaque na sessão foi do partido Novo, com a deputada Adriana Ventura criticando os valores em tempos de crise e desemprego.

FRASE

“Trata-se do dinheiro do cidadão para financiar campanhas políticas dos candidatos. É uma vergonha”.

Adriana Ventura, deputada federal do Novo-SP

JUSTIÇA RESTAURATIVA

O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos) participou na tarde desta sexta-feira da abertura do Primeiro Seminário de Justiça Restaurativa, no Salão Vermelho do Paço Municipal. O evento faz referência ao aniversário de dois anos da Lei Municipal 15.846/2019, que institui a política pública de Justiça Restaurativa no município.

***************

Por meio da Justiça Restaurativa, o cidadão infrator é colocado à frente das pessoas por ele prejudicadas, em diálogo que pode restaurar a cidadania e reparar danos. Um dos exemplos no encontro foi o de um pichador, que se reencontrou com proprietários de imóveis por ele pichados.

SOBRAS E REPARTES

A Câmara Municipal de Campinas promoveu ontem a devolução de R$ 20,4 milhões à Prefeitura, para serem aplicados em políticas sociais e programas de saúde e assistência. Os valores são resultantes do chamado duodécimo – a verba mensal que dispõe o Legislativo para cumprir com seus compromissos. É o maior valor já devolvido.

ALIANÇA EM ANÁLISE

Nos bastidores do Partido dos Trabalhadores (PT) ainda residem dúvidas quanto à validade de aliança entre Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-tucano Geraldo Alckmin para a corrida presidencial de 2022. Dirigentes do partido comentam sobre a necessidade de pesquisa substancial para ver se compensa a formação da chapa.

DECOLAGEM

Aécio Neves não está muito convencido da candidatura de João Doria à Presidência. Vinculado à ala tucana que defendeu nas prévias do PSDB a candidatura do governador gaúcho, Eduardo Leite, o político mineiro quer estabelecer prazos para uma decolagem do nome de Doria a alturas convincentes.

FAINA ELEITORAL

O ministro do STF Edson Fachin é o novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (STE), em substituição ao ministro Luís Roberto Barroso. A vice-presidência caberá ao ministro Alexandre de Moraes, também do STF. Ambos devem tomar posse no fim de fevereiro de 2022, após o recesso do Judiciário, iniciado ontem. Vão segurar a barra das eleições de 2022.

TORNOZELEIRA

Zé Trovão, o líder caminhoneiro que agitou as estradas meses atrás, vai para a prisão domiciliar, com direito a tornozeleira. A decisão partiu do ministro Alexandre de Moraes, do STF. Fica proibido de uso de redes sociais e de contato com investigados no caso.

VERBA ESTADUAL

O deputado estadual Rafa Zimbaldi (PL) comemora a aprovação pela Assembleia Legislativa de verbas de R$ 75 milhões, por ele incluídas no Orçamento do Estado para 2022, destinadas a Campinas e outros municípios da RMC. Segundo o parlamentar, outros R$ 50 milhões estão a caminho.

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular