Publicado 21 de Agosto de 2021 - 9h05

Por Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular

O presidente da Câmara Municipal de Campinas, Zé Carlos (PSB), passou parte da manhã e da tarde de ontem reunido com o prefeito Dário Saadi (Republicanos) em um encontro que discutiu a adoção de medidas por parte da Administração Municipal para suspender execuções fiscais no período da pandemia de coronavírus. No caso, as execuções propostas pela Procuradoria Fiscal do Município. Desde a criação da Procuradoria Municipal, em 2020, houve autonomia da Prefeitura para execuções.

PEDIDO DE CLEMÊNCIA 2

A criação da Procuradoria Municipal foi informação exclusiva do Xeque-mate, em janeiro deste ano. Ela ganhou autonomia para autorizar a propositura e a desistência de execuções fiscais no tocante a taxas e tributos municipais. O vereador Zé Carlos julga “extremamente inadequadas” ações de execução fiscal por débitos tributários no 2º ano da vigência da pandemia, de grave crise financeira”. Dário Saadi ficou de estudar a proposta.

FRASE

"O ataque ao STF é a gota d’água para os democratas”.

Renan Calheiros, relator da CPI da Covid

MAIA NOMEADO

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, parlamentar do Rio de Janeiro e ainda sem partido, foi nomeado nesta sexta-feira para o cargo de secretário estadual de Projetos e Ações Estrategicas do governo João Doria.

MAIA NOMEADO 2

Doria organizou cerimônia de ministro no Palácio dos Bandeirantes para a nomeação e apresentação de Maia como membro do staff do governo paulista.

MAIA NOMEADO 3

Em discurso de posse, Rodrigo Maia - que é filho do ex-prefeito carioca Cesar Maia - agradeceu e não negou a finalidade de sua presença no Palácio dos Bandeirantes. Antes, admitiu que trabalhará pela candidatura de Doria à Presidência da República.

*********

A candidatura de Doria terá que passar pelo crivo dos delegados do PSDB paulista, em convenção a ser realizada em outubro.

O LEVANTE DE REIS

A Procuradoria-Geral da República informou ontem ver “levante” em atos do cantor e ex-deputado federal Sérgio Reis, convocando caminhoneiros a parar o Brasil no dia 7 de setembro. “Querem acabar comig, como se eu fosse bandido”, respondeu o autor da canção “Coração de Papel”.

PELA LEGALIDADE

Demonstrando coerência, e, também, firmando sua visão e posição contra o bolsonarismo, o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão fez ontem o seguinte destaque, por conta das falas de Sérgio Reis, caminhoneiros e políticos: “Está tudo dentro da lei, o processo é legal”.

IMPRODUTIVO

Levantamento do portal “Congresso em foco” indica que, em quatro anos de mandato como deputado federal, Sérgio Reis não conseguiu emplacar alguma lei por meio de projetos apresentados.

******

Sérgio Reis foi o deputado mais bem votado em São Paulo, nas eleições de 2014, entre 70 deputados da bancada paulista na Câmara.

SENADO VERSUS STF

Bolsonaro cumpriu a promessa e ingressou no Senado contra o STF. Apresentou o pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes.

VOO CEGO

Paulo Guedes, ministro da Economia, dá declaração polêmica e irrita empresários: “O Brasil está decolando neste momento”.

FUNDÃO BARRADO

Bolsonaro vetou o Fundo Eleitoral de R$ 5,7 bilhões, aprovado no Congresso, embutido na Lei de Diretrizes Orçamentárias. Ao cabo dessa luta, o valor a ser fixado deverá situar-se em torno de R$ 4 bi.

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/ Diretor editorial do Correio Popular