Publicado 27 de Maio de 2021 - 10h41

Por Luiz Roberto Saviani Rey/Correio Popular

Porta-voz com argumento

O temor de envolvimento do Exército com a tumultuada política nacional, manifesto por várias lideranças do meio militar, ganhou amplitude ontem, quando o general Otávio do Rêgo Barros - ex-porta-voz do governo -, disse que a instituição “tem sido usada como estrutura de apoio político”. Ele revelou sua visão dos episódios recentes em artigo publicado no jornal “Correio Braziliense”. Seu temor é desmoralizarem uma instituição secular, alicerce na consolidação da Nação desde Duque de Caxias.

Porta-voz com argumento

A inquietação tomou conta de segmentos militares com a segunda convocação do ex-ministro da Saúde e general Eduardo Pazuello para novo depoimento perante a CPI da Covid, no Senado. Rêgo Barros, patente com elevado respeito entre o generalato, condena a “interferência do governo na Polícia Federal, nas Forças Armadas, na Receita e no Itamaraty”. O Alto Comando do Exército pressiona para que Pazuello passe à reserva. A nova ida à CPI é temerária.

FRASE

"Não é da competência da CPI da Covid convocar prefeitos e governadores" (Omar Aziz, da CPI da Covid, antes da convocação)

DORIA EM CAMPINAS

O governador João Doria faz incursão hoje pela região, começando pela visita ao prefeito Dário Saadi, no Palácio dos Jequitibás. Sua comitiva é esperada às 9h10 para a entrega de vouchers de cestas básicas para municípios da RMC.

 

*******

Em seguida ao ato na avenida Anchieta, 200, sede dos Jequitibás, Doria segue para Arthur Nogueira, para inaugurações no setor privado.

 

DORIA EM CAMPINAS 2

Na verdade, Campinas não estava no roteiro original do deslocamento do governador pela região.

 

******

Nos meios políticos, sua visita é interpretada como um princípio de aproximação com Dário Saadi, que é do Republicanos, e poderá ser importante aliado nas corridas eleitorais ao estado e à Presidência, em 2022.

 

BATE-BOCA

O clima ficou muito quente, ontem, na CPI da Covid, quando senadores discutiram a convocação de governadores e de prefeitos, e lançaram na mesa do presidente da comissão, Omar Aziz, um requerimento para a convocação do presidente Bolsonaro. A sessão ficou tensa e foi interrompida. Aziz achou a dose demasiada e manobra para impedir a convocação de governadores.

 

BATE-BOCA

Houve bate-boca entre o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), vice da CPI e autor da proposta de convocação do presidente, e Eduardo Girão (Podemos-CE), da ala de Bolsonaro.

 

******

Omar Aziz tomou as dores de Randolfe e atacou Girão sem açúcar e sem afeto: “Vossa Excelência é oportunista e oportunista pequeno. Não entende nada de Saúde. Está aqui para levar a cloroquina à população”. Os ânimos somente serenaram no final da tarde.

 

PREPARANDO A BASE

O senador Flávio Bolsonaro se desfiliou do Partido Republicanos, o PR, e anunciou que vai para o partido que seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, escolher.

 

PREPARANDO A BASE 2

Em recentes entrevistas, Bolsonaro tem afirmado que já passou da hora de escolher sigla partidária, mas sem se definir. Vários partidos abriram as portas. O mais recente foi o PP, do senador Ciro Nogueira. Flávio aguarda orientações domésticas.

 

EMENDA DE APOIO

O vereador Professor Alberto teve atendidas suas solicitações de verbas para Campinas, da ordem de R$ 1,6 milhão. Os recursos, para a Saúde e o Mário Gatti, originaram-se de emenda parlamentar do deputado federal por Campinas, Paulo Freire (PL).

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/Correio Popular