Publicado 12 de Janeiro de 2022 - 8h57

Por Do Correio Popular

Com um contingente de 25 mil motoboys circulando pela cidade, a poluição sonora tornou-se um problema crônico

Marcos Santos / Divulgação

Com um contingente de 25 mil motoboys circulando pela cidade, a poluição sonora tornou-se um problema crônico

Com uma frota de 125 mil motocicletas e motonetas e um contingente de 25 mil motoboys circulando pela cidade, a poluição sonora causada por esses veículos de duas rodas tornou-se um problema crônico, motivo de inúmeras queixas, que aumentaram 300% nas últimas semanas, conforme dados da Guarda Municipal. Na pandemia, os serviços de entrega de alimentos e encomendas cresceram exponencialmente nos últimos dois anos, agravando o quadro. Diante disso, o prefeito Dário Saadi anunciou ontem uma série de ações para tentar acabar com o problema do barulho provocado por motos com escapamento adulterado em Campinas, que prejudica a saúde e o bem-estar do cidadão, principalmente do motociclista, que sofre a ação direta dos altíssimos decibéis emitidos pelo escape dos gazes desses veículos.

Em Campinas, os motociclistas morrem feitos moscas, tanto que eles correspondem à metade das vítimas nos acidentes de trânsito. Diante de tamanho morticínio, a solução encontrada pela Prefeitura para enfrentar a situação foi regulamentar - por meio de um decreto publicado hoje no Diário Oficial -, uma antiga lei municipal, cujo objetivo é reduzir o número de acidentes envolvendo motos, conter a perda auditiva dos condutores e minimizar a poluição sonora, que tira o sono e perturba a paz de muita gente, especialmente dos moradores do Centro e de bairros adjacentes, por conta da intensa movimentação de motoboys, principalmente no período noturno e nas madrugadas.

Conforme salientou o prefeito Dário Saadi, a finalidade não é penalizar esses trabalhadores, cidadãos honrados e que enfrentam uma luta árdua pelo sustento de suas famílias. O objetivo é o de conscientizá-los sobre os enormes danos à saúde auditiva a que estão expostos, por conta do barulho ensurdecedor emitido pelos escapamentos adulterados.

A partir de hoje, a Guarda Municipal e a Emdec realizarão blitz surpresa visando a retirar de circulação as motocicletas com escapamento aberto. Cumprindo a legislação federal, que proíbe essa prática, os agentes de trânsito e da segurança pública campineira vão agir com tolerância zero contra os infratores. A ordem é multar os condutores e apreender as motos adulteradas e recolhê-las ao pátio. A regra vale para todos os motociclistas. Quanto aos motoboys, estes terão que submeter os seus veículos a uma vistoria regular dentro de seis meses, conforme prevê a legislação. A paz do cidadão não tem preço.

Escrito por:

Do Correio Popular