Publicado 11 de Novembro de 2021 - 8h56

Por Katia Fonseca

Antes da internação, Francisco participou da tradicional oração do Angelus, na Praça São Pedro, no Vaticano

Divulgação

Antes da internação, Francisco participou da tradicional oração do Angelus, na Praça São Pedro, no Vaticano

Na mensagem preparada para o XXXIII Domingo do Tempo Comum, dia 14 de novembro, quando se comemora o V Dia Mundial dos Pobres, o papa Francisco exortará a comunidade cristã mundial a refletir e agir diante da pobreza, que assola bilhões de indivíduos em todo o planeta. Logo na abertura do documento, assinado pelo pontífice e publicado no site oficial do Vaticano, Sua Santidade cita o evangelista Marcos, autor do segundo livro do Novo Testamento bíblico - "Sempre tereis pobres entre vós" (Mc 14,7). Essas palavras foram pronunciadas por Jesus dias antes da Páscoa, por ocasião de uma refeição em Betânia na casa de Simão. A narrativa bíblica demonstra a contradição entre o discurso daqueles que se mostram falsamente preocupados em encontrar uma "solução" para os pobres e os que, verdadeiramente, trabalham para combater a pobreza.

A cartilha "Jornada Mundial dos Pobres", publicada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), traz um resumo do desafio colocado pelo papa Francisco há cinco anos. A ação, promovida pela Santa Sé, convida os cristãos e as pessoas de boa vontade a escutar, tocar, refletir, rezar e agir diante da miséria. No Brasil, adotou-se a realização de uma jornada mundial dos pobres, em vez da celebração apenas de um dia. A jornada deste ano escolheu o tema: "Sentes Compaixão?". Trata-se de um convite a não ficarmos indiferentes ante o sofrimento das pessoas em situação de vulnerabilidade e a pobreza que assola 52 milhões de brasileiros.

Em Campinas, a Arquidiocese realizará na manhã deste sábado, dia 13, em frente à Catedral Metropolitana, uma ação voltada à população que se encontra em situação de miséria. O objetivo é chamar a atenção da sociedade ao problema e despertar o sentimento de compaixão e empatia. Haverá distribuição de alimentos prontos para consumo aos moradores em situação de rua. A V Jornada Mundial dos Pobres será encerrada com a celebração de uma missa.

Conforme as sábias e iluminadas palavras do papa Francisco, este é um tempo propício de ação concreta. É um tempo para salvar, reparar e restaurar a ética e a fraternidade. E conclui o Vigário de Cristo, apontando o caminho a ser perseguido: "Só o rosto do outro é capaz de despertar o melhor de nosso interior. Ao servir ao povo, salvamos a nós mesmos. Para sair melhores desta crise é necessário que recuperemos o saber de que temos um destino comum como povo. A pandemia nos recorda que nada pode salvar-se sozinho".

Escrito por:

Katia Fonseca