Publicado 18 de Agosto de 2021 - 8h41

Por Do Correio Popular

O transporte ferroviário é considerado o elemento indutor da Revolução Industrial, período compreendido entre 1760 e 1840, que mudou os rumos da humanidade ao substituir o trabalho artesanal pelo mecânico. Puxados pelas antigas máquinas a vapor, os comboios permitiam o deslocamento de enorme quantidade de matéria-prima às fábricas inglesas e promoviam o escoamento dos produtos manufaturados, movimentando o comércio mundial. As composições foram largamente utilizadas para transportar homens e armas nas duas grandes guerras mundiais. Nos Estados Unidos, os trens, chamados pelos índios de Cavalo de Ferro (iron horse, no idioma inglês), ajudaram os colonos a desbravar o oeste norte-americano.

Desde o século XIX, os trens vêm conectando populações, regiões, países e continentes, promovendo a circulação de mercadorias, pessoas e gerando riquezas. Ao redor das estações ferroviárias surgiram vilas e cidades. As companhias ferroviárias geravam empregos e impulsionavam o progresso. Campinas viveu um de seus períodos mais áureos quando funcionava a antiga Companhia Paulista da Estrada de Ferro. O ramal ligava a cidade até Jundiaí; e de lá fazia a conexão com os trilhos da antiga companhia São Paulo Railway, também conhecida como a Estrada de Ferro Santos a Jundiaí, pioneira no Estado de São Paulo, fundada há mais de 150 anos pelos ingleses em 1867. Por seus ramais, o café e outros produtos eram levados ao Porto de Santos para serem exportados ao mundo.

Uma combinação de peculiaridades políticas aliada a circunstâncias econômicas e comerciais de épocas distintas levou a ferrovia a ser abandonada, restando poucas linhas em operação atualmente, tanto de carga como de passageiros. Agora, um movimento de retomada desse clássico modal parece ressurgir das cinzas com o anúncio da implantação do Trem Intercidades (TIC) para passageiros, que voltará a ligar Campinas a São Paulo, passando por Jundiaí, e futuramente chegando até Americana. A previsão é a de que 65 mil passageiros utilizem o TIC diariamente. A festa só não será completa porque o governo paulista decidiu deixar de fora do projeto o tão aguardado ramal ligando a Estação Cultura ao Aeroporto de Viracopos. No entanto, o prefeito Dário Saadi confirmou que pretende municipalizar esse trecho e prover a cidade dessa importante linha férrea. Com o cronograma de implantação definido, espera-se que o passageiro volte a trilhar pelos dormentes que um dia impulsionaram o progresso de Campinas.

Campinas viveu um de seus períodos mais áureos quando funcionava a antiga Companhia Paulista da Estrada de Ferro.

Escrito por:

Do Correio Popular