Publicado 29 de Julho de 2021 - 10h26

Por Correio Popular

Os ventos de agosto trazem uma lufada de otimismo na mais recente Sondagem Industrial, realizada mensalmente junto às empresas associadas à regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp-Campinas). A pesquisa revela uma tendência de reaquecimento gradual da economia. Os dados completos da pesquisa podem ser conferidos em reportagem publicada na edição de hoje do nosso jornal.

No entanto, há que se destacar um aspecto relevante: para 54% das empresas, a produção em junho manteve-se estável em relação ao mês anterior; e para 23% dos empresários entrevistados, houve aumento. Além disso, o faturamento se manteve para 50% e apresentou aumento para 36%, no exercício contábil do mês de junho, comparado com maio.

Os números são excelentes e evidenciam que o setor produtivo começa a esboçar um reaquecimento das linhas industriais. Se essa tendência se confirmar, o lamaçal econômico causado pela pandemia dará lugar a uma onda virtuosa, com produção crescente e mais contratações; ato contínuo, as vendas tendem a aumentar, gerando lucro para as empresas e mais oportunidades de trabalho e renda. Com dinheiro circulando na praça, o consumo se expande e o ciclo de crescimento se completa. Por sua vez, o Município poderá aumentar a sua arrecadação sem elevar a carga tributária, mantendo os serviços públicos essenciais à população, como educação, saúde, segurança e transportes. Tudo isso garantido pela vacinação em massa.

Bastante criticado no início de sua gestão por resistir à adoção de um lockdown na cidade, o prefeito Dário Saadi e as autoridades sanitárias locais provam, agora, que estavam certos em confiar nos indicadores precoces de controle da pandemia, e em adotar medidas pontuais e localizadas, como o toque de recolher, ao invés de baixar um trancamento geral da cidade. Claro que toda decisão administrativa traz um certo risco e a disposição do gestor de se expor a ele. No entanto, é preciso reconhecer que a Administração municipal agiu acertadamente ao optar por um controle diário e preciso dos números de internação, transmissão e comportamento geral da pandemia.

Agindo assim, a cidade conseguiu baixar os índices de contaminação e, ao mesmo tempo, preservar um certo nível de atividade econômica durante a segunda onda da covid-19, principalmente nos meses de março e abril deste ano. Agora, a cidade começa a colher os frutos dessa escolha bem-sucedida. Que venha o segundo semestre com a esperança de dias melhores.

Escrito por:

Correio Popular