Publicado 11 de Junho de 2021 - 9h35

Por Correio Popular

O compositor Noel Rosa lançou em 1931 um samba que diz algumas verdades sarcásticas sobre o serviço público da época. Na primeira estrofe: "Espera mais um ano que eu vou ver/Vou ver o que posso fazer/ Não posso resolver neste momento/Pois não achei o teu requerimento/Espera, espera, espera". Quase um século depois, a letra de "Espera mais um ano" ainda se mantém atualíssima.

Assim como no profético samba de Noel Rosa, um ano depois do fechamento do Poupatempo no prédio da Avenida Francisco Glicério, a reabertura de uma nova unidade no Centro de Campinas continua em compasso de espera.

Ontem, a novela ganhou mais um capítulo. O governador João Dória anunciou, com exclusividade ao nosso jornal, que o governo estadual e a Prefeitura de Campinas estão finalizando as tratativas para a reabertura do serviço em algum lugar da região central.

Logo no início da pandemia da covid-19, o Poupatempo suspendeu o atendimento presencial, justamente quando milhares de pessoas precisavam dar entrada no seguro-desemprego. Sem o atendimento presencial, muitos tentaram pela internet, mas não conseguiram por causa de bloqueios ocasionados por razões inexplicáveis. Em maio, o governo paulista finalmente decidiu encerrar a agência, que funcionou por 22 anos no Centro. Com isso, a população, que depende do serviço, passou a ter que se deslocar até o Campinas Shopping, onde funciona, desde então, o único posto da cidade.

Agora, o governador deu a entender que, da parte dogoverno estadual, está tudo certo, dependendo apenas da definição do espaço cedido pela Prefeitura para reabertura do serviço. Na verdade, desde o ano passado o Município já havia ofertado o salão ocupado hoje pelo Porta Aberta, no Paço Municipal, para instalação da nova agência. A Prodesp, companhia encarregada do projeto, chegou a aprovar o espaço cedido pela Prefeitura, mas até agora a implantação segue em compasso de espera, sem qualquer prazo previsto.

Nesse ritmo lento e cansativo, a novela da reabertura da agência central do Poupatempo vai se arrastando há mais de um ano, tempo cantado em verso pelo genial Noel Rosa em seu samba centenário. Enquanto isso, quem sabe a população terá de aguardar mais um ano, ou talvez dois ou três, até que os burocratas consigam resolver o assunto em definitivo. Todavia, até lá, o campineiro saberá esperar, pacientemente, tal qual os personagens do samba do Poeta da Vila.

Escrito por:

Correio Popular