Publicado 03 de Junho de 2021 - 9h40

Por Correio Popular

As cenas dignas de um tribunal de exceção, protagonizadas nesta terça-feira por alguns senadores durante a tomada de depoimento prestado pela médica Nise Yamaguchi à CPI da Pandemia, deixou um rastro de espanto e incredulidade. Diante da chocante e inaceitável truculência verbal contra uma mulher e profissional da saúde, é preciso repudiar, com veemência, a forma desrespeitosa com que o grupo de parlamentares oposicionistas e independentes atacou a dra. Yamaguchi, que demonstrou boa vontade e disposição para contribuir com os trabalhos da CPI.

Em plena casa de leis, bastião da democracia e do estado de direito, senadores tentaram desconstruir a imagem de uma profissional séria e respeitada. Durante o seu depoimento, a dra. Yamaguchi foi submetida a um linchamento moral e boicotada covardemente em toda a sessão, mediante interrupções constantes nas suas respostas. Com essa tática sórdida, impediram que ela respondesse objetivamente às questões e explicasse detalhadamente as ações e os tratamentos da covid-19.

Apesar do clima inquisidor, a dra. Yamaguchi conseguiu cumprir integralmente o dever cívico e moral, como cidadã e médica, de contribuir e enriquecer o debate neste período difícil de busca de soluções à covid-19. Não obstante, os senadores demonstraram, no mínimo, total desprezo à profissional, ignorando a sua trajetória de 40 anos dedicados à saúde, ciência e em defesa da vida. O trabalho da dra. Yamaguchi é reconhecido no mundo inteiro, mas foi desconsiderado na CPI.

Trata-se de uma ação aparentemente orquestrada por alguns parlamentares, sem precedentes na história da República. Inicialmente chamada para participar da sessão na condição de convidada, acabou sendo tratada como testemunha. A partir daí, o que se viu foi uma sequência inaudita de insultos e ataques vexatórios contra uma profissional digna e respeitada. Por outro lado, salta aos olhos a maneira suave com que receberam outros depoentes, mais alinhados às teses que defendem, em contraste à triste sessão de esculhambação moral da dra. Yamaguchi.

Sendo assim, prevalece a impressão de que essa CPI, criada para debater políticas públicas de combate à pandemia, está se transformando em um palco de pirotecnias partidárias com fins eleitoreiros. Uma vergonha pública que desonra o Poder Legislativo e afronta a classe médica, que tem se dedicado exaustivamente para salvar vidas e combater a pandemia. Um triste capítulo na rica história do Senado brasileiro.

Escrito por:

Correio Popular