Publicado 12 de Outubro de 2021 - 9h02

Por estéfano barioni

Neste 12 de outubro em que celebramos as nossas crianças e a alegria que elas nos proporcionam no convívio diário, também somos convidados a refletir sobre os caminhos que estamos traçando. Qual é o futuro reservado para as nossas crianças? Algumas projeções ajudam a esclarecer como o Brasil pode ser em 2051, ou seja, daqui a 30 anos.

População brasileira

O Brasil tem hoje cerca de 213,7 milhões de habitantes. Em 2051, a população brasileira será de 232,7 milhões, segundo estimativas do IBGE. Além desse crescimento populacional, de 19 milhões de brasileiros (ou pouco menos de 9% da população atual), são bem mais relevantes outras mudanças demográficas que ocorrerão na sociedade brasileira nos próximos 30 anos.

FRASE

"O nosso destino não reside nas estrelas, mas em nós mesmos.”

William Shakespeare, dramaturgo inglês, em trecho da obra “Júlio César”

Envelhecimento

Nos próximos 30 anos, o perfil etário de nossa sociedade será alterado, aprofundando as mudanças já em curso. A sociedade brasileira envelhecerá. Hoje, a idade média do brasileiro está em torno de 34,8 anos (sendo 33,8 anos para homens e 35,8 anos para mulheres). Em 2051, a idade média do brasileiro será de 43,2 anos (41,7 anos para homens e 44,6 anos para mulheres).

Envelhecimento 2

O envelhecimento da população trará consequências para a economia, tanto em termos de produção como em relação à Previdência. Atualmente, o Brasil tem 14,7% de sua população com idade acima de 60 anos. Em 2051, teremos 28,9% da população brasileira acima dessa idade. De cada 10 brasileiros, 3 terão 60 anos ou mais em 2051.

Natalidade em queda

Somado a esse processo, as taxas de natalidade estarão em queda. Hoje, temos uma taxa de natalidade de 13,79 nascimentos a cada mil pessoas. Até 2051, a taxa de natalidade diminuirá para 9,84 nascimentos a cada mil pessoas. Além disso, com uma população envelhecendo, a taxa de mortalidade passa a aumentar.

População em declínio

Como consequência, em 2051, a população brasileira já estará em declínio. Segundo o IBGE, a partir de 2047, a taxa bruta de mortalidade ultrapassará a taxa bruta de natalidade, e teremos maior número de pessoas morrendo do que de nascimentos no Brasil. Hoje, nossa taxa de crescimento populacional é de 0,71% ao ano. Em 2051, nossa população estará encolhendo a uma taxa de 0,12% ao ano.

Crescimento econômico

Enquanto a população crescia vigorosamente e mais pessoas iam sendo incorporadas à força de trabalho, a produção logicamente aumentava. O rápido crescimento econômico verificado na década de 70 foi, em grande parte, impulsionado pelo crescimento populacional. Agora, perdemos esse impulso demográfico. Nosso País está ficando velho antes de enriquecer. O que fazer?

Mudanças

As mudanças demográficas já estão em curso e não serão revertidas. São fatos com os quais teremos que lidar. Para que possamos continuar crescendo, temos que modernizar nossa economia, tornando-a mais produtiva. Precisamos investir em educação para todas as crianças e jovens, em todos os níveis educacionais. E trabalhar em reformas para modernizar nossa economia.

Mudanças 2

É preciso atualizar a nossa visão de tempo de vida ativa e adaptar o regime previdenciário para uma vida cada vez mais longa. É preciso educar melhor nossas crianças e jovens, fornecendo condições para que possam se atualizar ao longo do tempo e terem vidas economicamente ativas mais longas. Precisamos também reforçar nosso sistema de saúde, que será cada vez mais solicitado com o nosso envelhecimento.

Brasil, País do futuro

O Brasil precisa se livrar do mito de eterno “País do futuro”. O futuro se constrói agora e nada mais é do que um reflexo daquilo que fazemos hoje. As coisas não caminham magicamente para uma solução. Precisamos, urgentemente, investir mais na educação de nossas crianças e jovens. Precisamos parar de olhar para trás, parar de defender pautas dos anos 1960 e trabalharmos para trilhar o caminho para o futuro.

Escrito por:

estéfano barioni