ALERTA GERAL

Mais quatro bairros entram na zona de risco da dengue

Jardim Rosalina, Jardim Eulina, Parque Floresta e Parque Itajaí foram listados

Da Redação
10/09/2023 às 10:40.
Atualizado em 10/09/2023 às 10:40
Agentes de combate aos focos de contaminação pelo mosquito transmissor da dengue trabalham em bairro de Campinas; autoridades de saúde pedem colaboração da população (Rodrigo Zanotto)

Agentes de combate aos focos de contaminação pelo mosquito transmissor da dengue trabalham em bairro de Campinas; autoridades de saúde pedem colaboração da população (Rodrigo Zanotto)

A Secretaria de Saúde de Campinas emitiu um novo alerta enfatizando a crescente incidência de casos de dengue na cidade, uma doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Quatro novos bairros foram adicionados à lista de áreas de alto risco: Jardim Rosalina, localizado na região Sudoeste; Jardim Eulina, ao Norte; e Parque Floresta e Parque Itajaí, ambos na região Noroeste. A cidade já registrou duas vítimas fatais como resultado dessa epidemia durante o ano atual. Entre 1º de janeiro e 5 de setembro, foram confirmados 9.723 casos da doença.

Conforme informações divulgadas em um comunicado oficial pela Prefeitura, o propósito deste alerta é incentivar a população a inspecionar suas residências em busca de possíveis criadouros do mosquito. A mensagem afirma: "O combate às arboviroses requer a cooperação de toda a sociedade. A Prefeitura mantém um programa de controle e prevenção da doença, mas é responsabilidade de cada cidadão contribuir corretamente com a destinação de resíduos e evitar a formação de criadouros." Um levantamento do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) aponta que 80% dos criadouros estão localizados no interior das residências.

Com a proximidade da Primavera, estação do ano que se caracteriza por um aumento nas precipitações em relação ao Inverno, é essencial redobrar a atenção para evitar a proliferação do mosquito. Dentre as medidas preventivas, destacam-se a eliminação de água acumulada em latas, pneus e outros objetos, além da troca da água nos vasos de plantas a cada dois dias. É crucial também garantir a vedação adequada das caixas d'água e manter os vasos sanitários que não estão em uso completamente fechados.

VÍTIMAS

Duas vidas foram tragicamente perdidas devido à dengue no primeiro semestre deste ano. A primeira vítima foi um homem de 86 anos, residente na área de abrangência do Centro de Saúde Taquaral, situado na região Leste da cidade. Ele manifestou os primeiros sintomas em 22 de fevereiro e faleceu em 4 de março. A segunda vítima foi uma mulher de 67 anos, que faleceu em 15 de junho em um hospital público de Campinas. Ela residia na área de abrangência do Centro de Saúde Vista Alegre, localizado na região Sudoeste.

Conforme procedimento padrão para casos confirmados da doença, ambas as regiões onde ocorreram os óbitos imediatamente acionaram as medidas preconizadas. Foram realizados procedimentos de controle de criadouros, busca ativa de indivíduos com sintomas e nebulização, como anunciado pela Prefeitura na ocasião.

As pessoas que apresentarem febre, acompanhada de dores de cabeça, no corpo, atrás dos olhos, manchas vermelhas, vômitos ou dor abdominal, devem buscar imediatamente atendimento de saúde para avaliação e seguir as orientações médicas, pois isso pode ser sintoma de dengue.

De acordo com Fausto de Almeida Marinho Neto, articulador do Núcleo de Arboviroses, Zoonoses e Determinantes Ambientais do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), a sazonalidade da dengue é bem definida, com os meses de maior incidência de casos sendo março, abril e maio.

"Isso acontece devido às altas temperaturas e chuvas frequentes, que influenciam diretamente no ciclo do mosquito transmissor, o Aedes aegypti. Com a chegada das frentes frias e diminuição das temperaturas, no período de Inverno, ocorre a diminuição progressiva dos casos de dengue em razão da menor atividade do mosquito e, consequentemente, menor transmissão dessa arbovirose", explicou.

MEDIDAS DE PREVENÇÃO

Evitar acúmulo de água, latas, pneus e outros objetos vasos de plantas devem ter a água trocada a cada dois dias vedar a caixa d’água vasos sanitários que não estão sendo usados devem ficar fechados.
Fonte: Prefeitura de Campinas

Assuntos Relacionados
Compartilhar
Correio Popular© Copyright 2024Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por