ALERTA GERAL

Campinas se aproxima de 10 mil casos positivos de dengue

Com 9.901 registros da enfermidade, número representa 88% do total de 2022

Da Redação
31/10/2023 às 09:00.
Atualizado em 31/10/2023 às 09:00
O agente de controle ambiental Augusto de Lara Garcia (foto de cima) solicita a cooperação para evitar que os vasos presentes nos cemitérios se tornem potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti (Alessandro Torres)

O agente de controle ambiental Augusto de Lara Garcia (foto de cima) solicita a cooperação para evitar que os vasos presentes nos cemitérios se tornem potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti (Alessandro Torres)

Com 9.901 casos de dengue confirmados ao longo deste ano, resultando em duas vítimas fatais, a enfermidade já atinge a marca de 88% do total de casos registrados no ano anterior, de acordo com informações da Secretaria de Saúde. Em 2022, o ano encerrou com 11.277 ocorrências e quatro óbitos. A três dias da celebração do Dia de Finados, a Secretaria de Saúde de Campinas apela para que a população evite levar ou redobre os cuidados ao posicionar vasos nos cemitérios. O alerta para a data de 2 de novembro está alinhado com as diretrizes de combate à dengue, considerando que esses itens podem se transformar em criadouros do mosquito transmissor da doença.

A autarquia Serviços Técnicos Gerais (Setec) estima que aproximadamente 100 mil pessoas devem visitar os cemitérios municipais durante o feriado de Finados. Diante dessa previsão, diversas medidas foram implementadas, incluindo a orientação aos funcionários dos cemitérios para manterem os locais limpos e removerem qualquer recipiente que possa se transformar em criadouro do mosquito.

Além disso, a Setec intensificou os serviços de manutenção e limpeza nos cemitérios da Saudade, Sousas e Nossa Senhora da Conceição (Amarais). Uma iniciativa adicional foi o aumento do horário de funcionamento dos cemitérios. Nos dias 1 e 2 de novembro, os portões serão abertos às 6h e fechados somente às 18h, ampliando o acesso em relação ao horário normal de 7h às 17h.

Augusto de Lara Garcia, agente de controle ambiental do Programa de Arboviroses e Zoonoses, destacou as medidas que devem ser adotadas pelos visitantes. "É crucial privilegiar flores naturais plantadas em vasos com terra. Além disso, é necessário remover os pratos e embalagens de celofane para evitar o acúmulo de água", afirmou. "Floreiras feitas de concreto, bronze, plástico ou qualquer material durável devem ser perfuradas para permitir o escoamento da água. Em alguns cemitérios da cidade, a colocação de vasos ou outros objetos nos túmulos pode ser proibida. Nos locais em que não há restrições, é crucial garantir que nenhum objeto deixado acumule água", enfatizou Garcia.

De acordo com Garcia, os vasos com pratos representam os principais focos de criadouros, sendo recomendado que os visitantes optem por flores que não exijam recipientes com água, sem embalagem plástica, ou escolham flores que naturalmente não acumulem água, como as bromélias.

No Cemitério da Saudade, o maior da cidade, está programada uma vistoria e limpeza após o Dia de Finados, visando recolher qualquer tipo de plástico, como copos, garrafas de água, sacolas plásticas e embalagens de plantas, considerados potenciais criadouros do mosquito da dengue. Para melhor atender à população, a Setec mobilizou todo o seu efetivo dos setores de cemitérios e funerária, oferecendo orientações gerais sobre o funcionamento, a localização de jazigos e assistência a pessoas com dificuldades de locomoção ou outras demandas que possam surgir. Tradicionalmente, o movimento nos cemitérios já aumenta no final de semana que antecede o Dia de Finados, mas o pico é registrado mesmo durante o feriado.

EPIDEMIA EM ABRIL

Campinas declarou epidemia de dengue em abril deste ano, ressaltando a necessidade contínua de cuidados preventivos. O coordenador do Programa Municipal de Arboviroses, Fausto de Almeida Marinho Neto, destaca que estamos no período intersazonal da dengue, caracterizado por uma tendência de diminuição nos casos, mantendo-se em níveis mais baixos. Entretanto, mesmo nesse cenário, o número de casos prováveis permanece acima do esperado. A conscientização e a implementação de medidas preventivas continuam sendo fundamentais para conter a propagação dessa grave enfermidade. 

Ele esclarece que as mudanças climáticas têm desempenhado um papel crucial na alteração da dinâmica do vetor e, por conseguinte, na propagação da doença. "Portanto, é fundamental reforçar as ações de controle de criadouros de maneira sistemática neste momento. Apenas 10 minutos por semana podem interromper o ciclo de vida do mosquito e contribuir para a redução de casos".

As estratégias de combate e controle da dengue foram iniciadas em outubro e serão mantidas até março, abrangendo o período propício à proliferação do mosquito transmissor da doença. Além disso, outras iniciativas estão em andamento, como a inspeção domiciliar para identificar possíveis focos de criadouros. A população tem recebido orientações sobre a prevenção do acúmulo de água em recipientes. As ações serão mais intensificadas em locais de maior risco, como borracharias, recicladoras e cooperativas de catadores.

Durante as visitas, as orientações incluem o recolhimento de recipientes suscetíveis ao acúmulo de água, especialmente aqueles expostos ao tempo. O controle desses locais é considerado uma das medidas preventivas mais significativas para impedir a formação de criadouros do mosquito da dengue e reduzir sua população. Após a primeira inspeção, os agentes de controle ambiental retornam ao local após 15 dias para verificar a adoção das recomendações pelos moradores e identificar possíveis focos de criadouros.

Para eliminar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, é fundamental evitar o acúmulo de água em latas, pneus e vedar adequadamente as caixas d'água, além de evitar o acúmulo de água em vasos. A Prefeitura faz um alerta à população, incentivando uma maior atenção às medidas preventivas, especialmente diante da previsão de dias mais quentes e chuvosos da primavera até o verão. Isso inclui colaborar com o poder público para eliminar qualquer objeto em casa que possa acumular água.

Na segunda-feira (30), o bairro Jardim Florence recebeu aplicação de inseticida devido à confirmação de um caso de dengue. A Secretaria de Saúde continua monitorando o cenário epidemiológico para estender a aplicação do produto a outros locais com casos confirmados.

A dengue apresenta sintomas como febre alta e súbita, dores no corpo, manchas vermelhas na pele, vômito e diarreia. Caso o morador manifeste esses sintomas, é recomendável que procure uma das unidades de saúde em Campinas para receber atendimento médico. A Secretaria de Saúde enfatiza a importância de os pacientes com sintomas da dengue procurarem os centros de saúde.

DÚVIDAS

As ações de combate à dengue nos imóveis de Campinas têm enfrentado hesitações por parte da população quanto a permitir ou não o acesso dos agentes, devido ao receio de possíveis golpes. Isso se deve ao fato de que o uniforme dos funcionários da nova empresa contratada para reduzir e controlar doenças causadas por vírus transmitidos por mosquitos na cidade difere do utilizado pela empresa anterior.

A Administração firmou contrato com a empresa Impacto Controle de Pragas LTDA na última semana de setembro. O novo uniforme é composto por uma camiseta branca com o logotipo da empresa e calça na cor cinza.

Como resultado, várias ações foram recusadas por moradores de áreas como Vila Industrial, São Bernardo, Jardim Santa Amália, Jardim Florence, Parque Floresta, Jardim Garcia, Vila Castelo Branco e Vila Padre Manoel de Nóbrega.

Diante desse cenário, a Prefeitura orienta que, em caso de dúvida, os moradores liguem para o número 156. O horário de atendimento é de segunda a sextafeira, das 8h às 17h. Os novos agentes contratados possuem crachá e uniforme de identificação da empresa.

Assuntos Relacionados
Compartilhar
Correio Popular© Copyright 2024Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por