Publicado 21 de Dezembro de 2021 - 8h46

Por Do Correio Popular

Segundo a Polícia Civil, o motorista não era habilitado e apresentava sinais de embriaguez

Carlos Gomide/Educadora

Segundo a Polícia Civil, o motorista não era habilitado e apresentava sinais de embriaguez

O motociclista de 23 anos acusado de atropelar e matar uma criança de 3 anos em Limeira responderá em liberdade provisória. O caso aconteceu anteontem. De acordo com a Justiça, não é o primeiro crime de trânsito praticado pelo acusado.

Segundo a Polícia Civil, o motorista não era habilitado e apresentava sinais de embriaguez. O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) havia opinado pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva, enquanto o advogado pediu a liberdade provisória.

Em sua decisão, o juiz do caso ressaltou que "os fatos ocorridos são lamentáveis" e que o suspeito praticou um outro crime de trânsito em 15 de julho de 2018. Mas observou que o caso foi registrado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar, na direção de veículo automotor.

A Polícia Civil informou que investiga a velocidade da moto e aguarda um exame de dosagem alcoólica feito pelo motociclista. Ainda segundo a corporação inicialmente, o acusado se recusou a realizar o teste do etilômetro.

O acidente aconteceu em frente à casa da avó do menino, na Rua Professora Arlete de Souza Queiroz, no Parque Abílio Pedro. A criança brincava em frente a casa, do lado oposto da rua e, ao atravessar, foi atingido por uma moto, que estava em alta velocidade. O garoto foi arremessado cerca de 15 metros.

A criança chegou a ser socorrida pelos próprios familiares, mas quando chegou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro não resistiu aos ferimentos e morreu.

Além de ser indiciado por homicídio culposo na direção de veículo automotor, o rapaz vai responder por não possuir habilitação e embriaguez ao volante.

Escrito por:

Do Correio Popular