Publicado 24 de Novembro de 2021 - 9h18

Por Mariana Camba/ Correio Popular

Profissional do Hemocentro da Unicamp analisa bolsa de sangue ainda em estoque: órgão necessita de mais doações para fazer frente à demanda atual e do final de ano

Ricardo Lima

Profissional do Hemocentro da Unicamp analisa bolsa de sangue ainda em estoque: órgão necessita de mais doações para fazer frente à demanda atual e do final de ano

O atual volume do estoque de sangue do Hemocentro da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) é considerado preocupante. As bolsas disponíveis conseguem atender somente mais três dias de demanda, enquanto o ideal seria pelo menos cinco. Na tentativa de reverter esse cenário, o Hemocentro lançou uma campanha para incentivar as doações, que teve início anteontem e vai até este sábado. A ação ocorre na semana do Dia Nacional do Doador de Sangue, que será celebrado amanhã.

De acordo com o diretor do serviço de coleta do Hemocentro, Vagner de Castro, desde o início da pandemia as doações caíram em torno de 20%, o que fez com que a média de doadores diminuísse de 1.200 para 900 por semana. O problema deve se agravar com a proximidade do final de ano, quando aumentam os casos de urgência e emergência atendidos pelos hospitais.

Segundo Castro todas as ações realizadas neste ano para incentivar a doação resultaram em um aumento temporário do estoque. Antes da pandemia, o estoque perdurava por até 20 dias. Atualmente, duram, em média, três dias. "Esse é um problema sério que tem afetado todo o país. Observamos que as pessoas estão menos sensíveis, e que diversos fatores provocados pela pandemia têm contribuído para essa realidade", informou. Para ele, a crise econômica e política tem feito com que a sociedade foque em sua sobrevivência. Mesmo com a volta recente às atividades sociais e profissionais, o diretor do serviço de coleta observou que as doações ainda não avançaram.

"Esta semana é crucial para que os estoques aumentem antes das festas e feriados do final de ano. Uma doação pode salvar a vida de até quatro pessoas", ressaltou. Em maio deste ano, hospitais suspenderam cirurgias eletivas por causa da falta de bolsas de sangue. Desde então, o volume do estoque tem oscilado, com uma discreta recuperação. Atualmente, o menor volume disponível é do tipo A-, seguido do A+ e O+. "Apesar da atual situação ainda não ser considerada crítica, o montante armazenado não é confortável. Caso a demanda aumente, teremos problemas. Seria um sufoco", alertou.

Castro reforçou que é preciso aumentar as doações em pelo menos 20% de forma contínua e não apenas durante as campanhas. Em dezembro, acrescentou, apesar do aumento das cirurgias de urgência e emergência, há uma diminuição das eletivas. O problema é que durante os feriados as doações também diminuem consideravelmente, por isso a importância de ações preventivas como a que está sendo realizada nesta semana. O Hemocentro atende 99% da demanda do Sistema Único de Saúde de Campinas e região e também presta suporte aos demais hospitais do sistema privado.

Castro tem a esperança de com a campanha, as doações aumentem significativamente. "É preciso lembrar que o sangue é insubstituível. Por isso, quando um paciente precisar de transfusão, não temos alternativa a não ser atender. Empatia e solidariedade, neste momento, devem ser protagonistas, para que mais vidas sejam salvas", concluiu.

Como Doar

Para quem quiser contribuir, a prioridade no atendimento será dada aos que agendarem a doação, de segunda a sábado, das 7h30 às 15h. A demanda espontânea também será atendida. Estão aptos a doar pessoas entre 16 e 70 anos incompletos, com mais de 50 quilos e com hábitos saudáveis. Os que tiveram menos de 18 anos deverão apresentar a autorização de um responsável. "Possíveis problemas de saúde serão analisados individualmente", pontuou. As pessoas que testaram positivo para a covid-19 podem doar sangue somente 30 dias depois de terem se recuperado da doença, em casos leves. Para as pessoas que desenvolveram a forma grave da covid-19, será preciso avaliar o caso individualmente, principalmente para analisar possíveis sequelas.

Em relação à vacinação, os que tomaram a Coronavac precisam aguardar 48 horas para doar sangue, depois de tomar a dose. Quem foi imunizado com a AstraZeneca, Pfizer e Janssen deve esperar sete dias. Os pontos de coleta são: Hemocentro Unicamp, Hospital Municipal Dr. Mário Gatti e Hospital Estadual de Sumaré. Para eventuais dúvidas, o doador poderá entrar em contato com o Hemocentro por meio do número 0800 722 8432.

Ação Essencial

O administrador de empresas, Fernando Luís Moraes Júnior, é doador de sangue há dois anos e garantiu que a sensação ao contribuir é gratificante. Quem o incentivou a doar foi o seu pai, que manteve esse costume durante anos. "O benefício é ajudar quem precisa. Doar sangue é simples e rápido, não demoro mais que 20 minutos para fazer isso. Todos deveriam fazer o mesmo", declarou. Júnior é morador de Jaguariúna e foi até o Hemocentro ontem, durante as suas férias, apenas para garantir a coleta de sangue.

O tipo sanguíneo dele é O+, um dos mais solicitados pelos hospitais. Por isso, o administrador deixou o seu contato cadastrado no Hemocentro e se disponibilizou a atender eventuais necessidades. "Estou de sobreaviso. Caso alguém precise, ficarei feliz em ajudar. É uma ação capaz de mudar completamente a vida de alguém", concluiu.

Escrito por:

Mariana Camba/ Correio Popular