Publicado 14 de Novembro de 2021 - 9h44

Por Do Correio Popular

Voluntária da iniciativa distribui marcador de página para pessoas que se concentravam em frente à Catedral

Divulgação

Voluntária da iniciativa distribui marcador de página para pessoas que se concentravam em frente à Catedral

Um evento realizado em frente à Catedral Metropolitana de Campinas ontem, pela manhã, marcou o encerramento da V Jornada Mundial dos Pobres (JMP), evento instituído pelo papa Francisco para incentivar a sociedade a realizar ações de caridade em favor dos mais necessitados e despertar consciência em relação à desigualdade social existente no mundo.

Houve distribuição de 500 kits de alimentação doados pela Paróquia Santo Cura D'Ars, além de 2 mil marcadores de páginas contendo uma frase da Bíblia e uma do papa defendendo a inclusão dos mais pobres. Após o evento, uma missa foi celebrada na Catedral. Em Campinas, as ações foram organizadas por uma parceria entre Pastorais Sociais da Arquidiocese de Campinas, a Coordenação de Pastorais e a Cáritas Arquidiocesana.

Dia Mundial

O final da JMP coincide com o Dia Mundial dos Pobres, que acontece hoje. Em homenagem à data, ontem foi lançado um "Manifesto pela Vida", onde a Igreja Católica brasileira conclama os cristãos a denunciar as injustiças sociais e atender às recomendações do papa Francisco de combater a "economia de exclusão", o "dinheiro que domina em vez de servir", a "desigualdade que gera violência" entre outras questões que o pontífice apontou em sua exortação apostólica Evangelii Gaudium de 2013.

O manifesto também denuncia o sofrimento dos pobres no Brasil, consequência de um cenário de descaso "vergonhoso", de acordo com as entidades que estiveram à frente da JMP. O objetivo das ações realizadas durante a Jornada Mundial dos Pobres é o de que a sociedade tome conhecimento da convocação do papa para que, da maneira que for possível, as pessoas realizem gestos concretos em relação aos pobres e às comunidades carentes, seja individualmente ou coletivamente.

Escrito por:

Do Correio Popular